Categorias

Abraão (1) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (9) Artesanato criativo (3) As maravilhas de Deus (1) Atividades (3) Avaliação na Catequese (1) Batismo (3) Bíblia (7) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (1) Cantinho da Oração (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (2) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (59) Dinâmicas de Oração (8) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (3) Eucaristia (9) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinhas (4) Mandamentos (1) Matrimônio (1) Metodologia catequética (24) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (9) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (15) Parábola do semeador (2) Páscoa (1) Pecado (2) Planejamento (2) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (3) Rei Davi (1) Revisão (4) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (2) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (3)

05 dezembro, 2016

Como coordenar a catequese?



Vamos falar hoje sobre a coordenação da catequese? Você sabe quais são os objetivos de uma coordenação? Arrisca algum palpite?

Nem sempre o coordenador é preparado para assumir esta missão. O coordenador vai aprendendo enquanto caminha, enquanto vence os desafios. E por mais que haja um curso nas escolas catequéticas, ainda assim não seria suficiente para formar um coordenador. Maturidade cristã e de vida, capacidade de resolver conflitos, inteligencia emocional são fundamentais. Alguém me falou que um coordenador deve ser uma pessoa conciliadora. Penso que ser conciliador deveria ser pré-requisito para qualquer trabalho de liderança dentro da Igreja e fora.
Quando cheguei na coordenação, tinha mais de treze anos de caminhada na catequese. Percebi que Deus tinha me moldado muito e me preparado neste tempo todo para assumir a missão de ser coordenadora. Não é fácil. Mas crescemos muito: aprendemos a ser mais acolhedores e conciliadores. Quando assumi a coordenação, eu queria cuidar de todos os catequistas. Cuidado é uma palavra importante para um coordenador. Cuidar de quem cuida.

Então, para ajudar você que é coordenador, ou você que é catequista, a conhecer melhor os objetivos da coordenação, publico as diretrizes para o Ministério da Coordenação (Diretrizes  gerais para a catequese), Arquidiocese de Brasília) :


Objetivos da coordenação:
-Unir o grupo.
-Evitar a duplicação de tarefas.
-Incentivar os participantes.
-Articular talentos e recursos.
-Evitar a dominação e a omissão dentro do grupo.
-Criar um clima de responsabilidade e confiança mútua.
-Descobrir e valorizar a capacidade das pessoas.
-Testemunhar, servindo.
-Elaborar, em conjunto, um projeto catequético capaz de gerar a formação de comunidade.
-Criar unidade de ação entre a paróquia, setor, Vicariato e Arquidiocese.

Um desafio enorme, não acha?

Vamos prosseguir com os Compromissos da Coordenação:

"Para se realizar um bom trabalho é necessário que a equipe de coordenação:
-Elabore um programa de formação adequado às necessidades dos catequistas.
-Ajude os catequistas a integrar a catequese com as outras pastorais e serviços.
-Realize encontros de formação, estudos, aprofundamentos, retiros e celebrações.
-Incentive toda a comunidade para que se sinta responsável e assuma seu papel catequizador."


Este documento é uma bússola para nós coordenadores. Nos define uma direção e um jeito certo de ir. 


Cris Menezes
Catequista
Brasília-DF

27 novembro, 2016

Faça você mesmo: Coroa do Advento


Já fez sua Coroa do Advento?
Não? Ainda dá tempo. 

Você vai precisar de:

-Guirlanda ou festão
-4 velas coloridas : Vermelho, verde, branco, roxo claro (ou rosa) 

Se quiser, pode encapar a vela com papel cartão colorido ou fitilho. Como é mais para decorar, não tem problema. Você pode acender uma vela em cada encontro do advento na hora de fazer a oração inicial. Apaga. E acende de novo na oração final. 
Opcional: laços vermelhos (ou outros enfeites natalinos)








O ideal é que as velas fiquem em cima da coroa ou no centro. Mas minha guirlanda é muito pequena, por isso coloquei as velas rodeando a coroa.

O catequista pode explicar o sentido da Coroa do Advento.


Para ler mais:

A coroa do advento e seu significado
Roteiro de encontro sobre advento-catequistas em formação


Obrigada. Deus ama você.
Cris Menezes
Catequista
Brasília-DF

24 novembro, 2016

Critérios para ser catequista



Existem critérios para escolha de catequista? Qualquer pessoa pode ser catequista? Como é a escolha de catequistas na sua paróquia? Nós podemos chamar catequistas na missa? Qual a idade mínima para ser catequista? Já pensaram sobre isso?

Então, descobri que temos um documento aqui da Arquidiocese de Brasília chamado "Diretrizes gerais para a catequese" (2002). Na página 11, diz assim: (estão atentos aí?)


"Em virtude da importância do catequista na vida da Igreja, é fundamental que se definam critérios para a sua escolha. Sendo assim e, respondendo aos anseios de nossos padres e catequistas, a Arquidiocese de de Brasília estabelece os seguintes critérios:
-Ser convidado e entrevistado pelo Pároco para que o futuro catequista saiba que não estará sozinho e que sua missão está interliga à missão do pastor.
-Ter recebido os sacramentos de iniciação cristã: batismo, eucaristia e crisma.
-Ter no mínimo 16 (dezesseis) anos de idade. Os responsáveis pela escolha dos novos catequistas devem usar o bom senso, pois, se querem uma comunidade madura, esforcem-se para chamar pessoas maduras na fé.
-Ter vida sacramental e litúrgica testemunhando, assim, a sua participação na comunidade.
-Colocar a catequese como prioridade, pois assim, não deixará de participar das reuniões, dos eventos e dos retiros.
-Comprometer-se em aprimorar a sua formação na Escola Arquidiocesana de Catequese- EAC.
-Se constituiu família, que tenha recebido o sacramento do matrimônio.
-Ter disponibilidade de tempo para participar das atividades da catequese, fazendo uma programação que priorize: a formação, a preparação dos encontros catequéticos, a participação em reuniões e em celebrações litúrgicas.
-Cultivar o espírito de obediência e respeito às diretrizes referentes à catequese, tanto em nível da Igreja Universal, quanto em nível da Igreja Particular.


Acho mesmo que não se deveria chamar catequistas na missa. Porque se colocamos aviso na missa, teremos que acolher todos os que aparecerem. Não daria certo fazer uma entrevista para saber se a pessoa tem perfil ou se está apto para ser catequista. Isso não se mede numa entrevista. Por isso que é mais sensato o padre convidar. Ele vai convidar depois de observar se a pessoa se encaixa nos critérios que a arquidiocese estipulou.

Queria também comentar sobre a idade. É difícil analisar se alguém é maduro pela idade. Tem pessoas muito jovens que são muito maduras na fé, e pessoas adultas que não são. Por isso que é preciso cuidado.

Tem alguns critérios que deveriam ser lidos e os catequistas deviam assinar que concordavam. Tipo um contrato. (risos) Como por exemplo, ter disponibilidade de tempo para participar das atividades da catequese. Parece óbvio, mas acredite, tem catequista que nem para o encontro de catequese vai. Gosto desse também: comprometer-se em aprimorar sua formação. Me ajude a criar um contrato de responsabilidade na catequese? (Não estou brincando não!!! haha)


Cris Menezes
Catequista-Brasília-DF


23 novembro, 2016

Rascunho de uma catequese com os pais



Quantas vezes nós, catequistas, chamamos os pais de nossos catequizandos para conversar e explicar para eles o que é a catequese, pra que serve, quais são os objetivos e qual a devida parte deles neste processo?

Os pais muitas vezes nem são evangelizados, não fizeram catequese, eles mesmos não concluíram a iniciação à vida crista. São batizados mas não crismados. Eles ainda podem ter feito uma catequese que não os despertou para o discipulado. Levam os filhos para a catequese por uma tradição, mas falta a eles comprometimento com a vida cristã, vivência dos sacramentos.

Esses dias, na reunião com as etapas, uma catequista falou que ao perguntar para os pais o que era catequese, uma mãe respondeu: "A catequese é a escola de Deus." Nós rimos. Achamos engraçado. Mas de onde ela tirou esta resposta? Será que não foi observando a catequese? Você não concorda  que  ainda hoje existem resquícios desta catequese escolar, puramente doutrinária, rígida?

O que proponho é que nos aproximamos dos pais, que conquistamos a família do catequizando. Que façamos encontros familiares, que a catequese envolva toda a família. Geralmente chamamos os pais para uma reunião de pais e depois achamos um absurdo eles associarem catequese com escola. Escola é que faz reunião de pais. 

Que tal os convidarmos para um encontro de catequese com as famílias?

Já tivemos a experiência de fazer esses encontros e foi muito bom. Mas hoje estamos conscientes que não damos conta de fazer isso sozinhos, precisamos de ajuda. Podemos conhecer as realidades dessas famílias e encaminhar para a pastoral familiar.   Você acha muita responsabilidade para assumirmos? Além de cuidar dos catequizandos, vamos cuidar da família toda!!! E ao cuidar da família, estaremos cuidando do catequizando. Concorda?

A ideia não é catequizar os pais, mas envolvê-los mais na Igreja. Chamá-los para caminhar juntos com o filho na catequese e caminhar com a gente.

E como poderia ser esses encontros e essa aproximação com os pais?

Podemos definir quatro encontros com os pais durante o ano. Iríamos planejar um tema, uma leitura bíblica. E, ao final, trataríamos dos assuntos mais "técnicos" da catequese: as datas das celebrações, compromissos, camisetas, avisos em geral. Então, podemos esquematizar nossos encontros assim:

1. Leitura Orante da Bíblia- Escolher um Evangelho e fazer os passos da leitura orante. Deixar que os pais participem, falem, se expressem, partilhem suas vidas e suas histórias.

2. Dinâmicas para promover a integração entre os pais, descontrair, fazer com que eles se sintam parte da Igreja. Mas cuidado com dinâmicas! Escolha uma que tenha a ver com o Evangelho e com o tema do encontro.

3. Momentos de oração e espiritualidade
Muitos pais estão tão distantes da Igreja que não rezam. Vamos rezar com eles e ensiná-los a rezar com os filhos.

4. Envolver os pais nos projetos e atividades da catequese. Quando for organizar um encontro convidar os pais para ajudar. Mas para que este convite seja bem aceito, é preciso conhecermos os pais, ganharmos a confiança deles e o apoio.

5. Numa reunião de planejamento que tivemos, uma catequista sugeriu que tivessem atividades para serem feitas envolvendo os pais e os filhos: a mãe e o filho fizessem juntos alguma lembrancinha, por exemplo. A intenção é promover encontros dos pais e filhos dentro da Igreja.

6. Avisos/orientações/explicações sobre o funcionamento da catequese será no final do encontro.


Vamos tentar?

Cris Menezes
Catequista
Brasília-DF

22 novembro, 2016

Sacramento da Crisma- planejamento de encontro






Ver: Prepara a linha da vida: São imagens que vão desde o início da vida-gravidez- até a velhice.  Coloque fotos da Primeira Eucaristia, Batismo, namoro, casamento, vestibular, trabalho, faculdade, grupo jovem etc. Cada catequizando vai escolher uma foto e partilhar sobre ela. Inclua fotos que representem também a missão de algumas pastorais, como os vicentinos, pastoral da saúde, dízimo. Este será o último encontro. Que possa ser um memória da caminhada de cada um, como um olhar para o presente (o que eu sou hoje?) e para a missão que querem abraçar após a Crisma.

Iluminar
Leitura Orante

Ler 2 vezes Lc 4, 14-21

Onde Jesus estava ?
Qual livro da Bíblia Jesus leu neste dia?
Qual é a missão de Jesus?

-Vamos refletir: Como é possível a Igreja continuar a missão de Jesus?

Deixar que os catequizandos falem e concluir que: Com o sacramento da Crisma, somos ungidos com óleo do Crisma e recebemos o Espírito Santo. Confirmamos o nosso Batismo e assim estamos prontos para continuar a missão de Jesus movidos pelo Espírito santo.

Desenvolvimento do tema
O que é a Crisma/Confirmação?


"A confirmação é  sacramento que completa o batismo e pelo qual recebemos o dom do Espírito Santo. Quem se decide livremente por uma vida como filho de Deus e pede o Espírito de Deus, sob o sinal da imposição das mãos e da unção com o Crisma, obtém a força para testemunhar o amor e o poder de Deus com palavras e atos. Ele é agora um membro legítimo e responsável da Igreja católica. Quando um treinador manda um jogador de futebol para o campo, põe-lhe a mão sobre o ombro e dá-lhe as últimas instruções. Assim também se pode compreender a Confirmação. É-nos posta a mão, entramos no campo da vida. Pelo Espírito Santo, sabemos o que temos a fazer; Ele motivou-nos até a ponta dos cabelos; o Seu envio ressona-nos no ouvido; sentimos a Sua ajuda; não frustraremos a Sua confiança e decidiremos o jogo por Ele; agora, é só ter vontade e escutá-lo." (Youcat)

-Como podemos ser atuantes na Igreja? Já pensaram em qual pastoral desejam se engajar para colocar seus dons a serviço da Igreja? (Agir)

-O símbolo deste Encontro é a pomba do Espírito Santo com os sete dons.

-Falar sobre o Espírito Santo, os 7 dons e a Santíssima Trindade.


Atividade e compromisso

Confeccionar junto com os catequizandos um jaleco de papel ou de TNT  ou jornal e escrever: Discípulo: e o nome de cada catequizando.

O jaleco pode ser feito com uma folha dupla de jornal. É bem simples de fazer:  faça um círculo na dobra do jornal  que seja suficiente para passar a cabeça.  Vai ficar parecido com um colete.
Geralmente falamos que o empregado deve vestir a camisa da empresa. O que isso quer dizer? Abraçar mesmo o trabalho, dar o melhor de si para a empresa crescer, suar a camisa. Na catequese,  vestir a camisa de Jesus significa estar disposto para seguir Jesus, continuar sua missão, abraçar a causa de Jesus e seu amor preferencial pelos mais pobres e fracos. 

Para celebrar este encontro, vamos ler novamente o evangelho LC 4, 14-21. Cada um pode escolher um versículo da missão de Jesus que mais tocou seu coração e do qual se sente chamado: pregar a boa-nova aos pobres, proclamar a liberdade aos presos...

Terminar com a oração do Espírito Santo
***


Elaborado por Cris Menezes- Catequista
Brasília DF
Referências (Inspirações): Adultos na fé (Leomar A. Brustolin)
Perseverar na fé, de Leomar A. Brustolin
Youcat (Catecismo Jovem)


http://catequesedeeucaristia.blogspot.com.br