Categorias

Abraão (4) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Ambientação (2) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (10) Artesanato criativo (5) As maravilhas de Deus (1) Atividades (8) Avaliação na Catequese (2) Batismo (3) Bíblia (8) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (2) Campanha da Fraternidade 2017 (2) Cantinho da Oração (1) Catavento (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) catequistas (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (5) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (60) Dinâmicas de Oração (6) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (4) Eucaristia (10) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinha da Páscoa (6) Lembrancinha para as mães (4) Lembrancinhas (5) Mandamentos (1) Maquete (1) Matrimônio (1) Meio Ambiente (1) Metodologia catequética (24) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (10) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (13) Parábola do semeador (2) Páscoa (6) Pecado (2) Pentecostes (1) Planejamento (3) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (4) Rei Davi (1) Reunião de pais (1) Revisão (5) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (3) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (1)

20 dezembro, 2011

o que eu pretendo fazer para melhorar minha catequese?



 Bom, o que eu quero fazer para melhorar minha catequese é sair da sala da catequese, fazer o êxodo, ir ao encontro das famílias dos  catequizandos, visitá-los, conhecer a realidade dos meus pequenos. Fiz uma experiência maravilhosa numa dessas visitas. Eu sabia que a criança tinha uma família carente e ao chegar na casa, logo do portão, já fui percebendo o quão pobre aquela família era. Um barraco, higiene precária; roupas velhas jogadas pelo quintal; galinha andando pela sala. Sentamos no sofá, eu e o Sanderson, o catequista que me ajuda nos encontros, e começamos a conversar com o pai da nossa catequizanda.  Ele parece uma figura saída do cinema. Um homem simples, humilde, sábio e...poeta. Ele nos contou que escreve teatro e estava preparando para filmar um curta-metragem que tinha escrito. Imagine a minha surpresa! Nunca ia imaginar que naquela casa vivia um artista! Ele olhou para o barraco e nos disse que aquele lugar era o castelo dele; as filhas, suas princesas; e sua mulher, a rainha. Quando a rainha daquela família chegou, eu fui abraçá-la. Ela me olhou e disse com um sorriso: "Eu sou feliz". Não contive as lágrimas. Chorei.  Não pense que chorei de pena deles. Eu chorei porque acreditei naquela família, acreditei que havia (e há) felicidade ali. Eu chorei e choro sempre que falo nesta história... Porque eu já sabia que dinheiro não traz felicidade... Eu chorei porque sempre soube que queria fazer parte disto que chamam de amor, de família, de homem e mulher dividindo a mesma casa,  e deste amor nascer filhos. Em nenhum momento eu senti pena deles, porque vi amor, amor. Naquela família, o pão pode ser escasso, mas o amor não. Não estou elogiando a pobreza de jeito nenhum. Aquela família merece uma casa arrumada e mesa farta todos os dias. Sabemos bem que sem comida o corpo morre,  e sem amor nós estamos arruinamos, apesar de continuarmos vivos. Muita gente, apesar de morar em verdadeiros castelos, é infeliz. Saí daquela visita uma pessoa melhor, uma catequista mais cristã, um ser humano mais humano. .
Passada a emoção que este encontrou me causou, eu cheguei a conclusão que não basta conhecer a realidade em que vivem meus catequizandos. O segundo passo que preciso dar na minha catequese, é encontrar meios de ajudar as famílias.   É preciso chegar até as famílias, porque a catequese necessita passar pelos pais. Está aí meu propósito de 2012 para a catequese.

Cris Menezes* Catequista feliz/Catequizando feliz

( Texto que escrevi especialmente para o blog Sou Catequista de IVC, para participar da promoção de aniversário.)


18 dezembro, 2011

Eu, Deus e meu trabalho

Deus girou minha vida em 360º e sei que vou levar a vida inteira para agradecer. Depois de concluir minha faculdade de Letras, fui para o mercado de trabalho procurar emprego, também me dediquei a estudar e fazer concurso público. Enviei  currículos a perder de vista. Cada entrevista era um expectativa frustrada. No último ano, já estava aceitando qualquer coisa, qualquer trabalho, porque eu queria mesmo era trabalhar. Mas encontrei só porta fechada.  Foi uma fase muito difícil, minha família sofreu comigo...dias muito sombrios em que somente o amor de Jesus e de amigos bem próximos trazia um acalento. Depois de tantas esperas, Deus realiza na minha vida a graça do emprego.  Estou muito felizPosso dizer com toda fé e alegria do meu coração que Deus pode fazer obras maravilhosas na nossa vida. É só confiar...Eu me sinto um testemunho vivo do amor de Deus.
*
*
*
(Existe uma porta destrancada em algum lugar que dá acesso ao sonho mais lindo de Deus para nós ). Catequista feliz


16 dezembro, 2011

Conhecendo a Layse


Gente, conheci pessoalmente a Layse do blog catequese kids! Ela é muito querida. (O nome da Layse se pronuncia Laíse!! rs  Quase que não a encontro perguntando pela Layse.rs Brincadeirinha!!!!) Fiquei  feliz em conhecer a Layse e seus catequizandos.  Ela me convidou para falar  sobre a importância da Primeira Eucaristia, 75 crianças aproximadamente. Medo, eu senti. Mas não posso recusar a um pedido tão especial: falar de Jesus Cristo, minha Eucaristia. Fui e levei comigo o coordenador da Primeira Eucaristia da minha paróquia, o Clóvis. Foi maravilhoso. Agradeço a Layse pelo convite. Não consegui comentar o post do blog dela, mas queria dizer, Layse, que suas crianças são muito espertas e sabem de tudo na ponta do coração! rs Obrigada, Clóvis, pela disposição que teve quando também lhe fiz o convite e por todo o apoio. Sua participação na palestra foi fundamental e enriquecedora. Obrigada, catequistas unidos, pela oportunidade de participar deste grupo. Espero conhecer mais catequistas. Estou planejando viajar por este Brasil todo e quem sabe ter a alegria de conhecer vocês.   A catequese enriquece minha vida!

28 outubro, 2011

Tia Cris Loira (Que imaginação!!!)

                                                      Meus pequenos artistas!!!


                                                         Na certa faltou o lápis preto!!!!

23 outubro, 2011

Dinâmica de revisão: O que guardar no coração?









" O que guardar no coração? Deus e a tia Cris "
 Que lindo. Este carinho não tem preço. A catequese faz diferença na minha vida.
*
*
*
Dinâmica para fazermos no encerramento do ano. As próprias crianças confeccionaram a casinha e escreveram seus nomes na frente. Apliquei esta dinâmica ontem. Sala lotada, três turmas juntas. Como não deu tempo de preparar, pedi para algumas crianças cortarem as cartolinas. Na minha catequese, as crianças são sujeitos da catequização. Elas me ajudam até arrumar o altar e limpar a sala no final dos encontros.

Inspiração: Blog : A paixão de ser catequista


16 outubro, 2011

Desenhando na catequese: Eu e minha família


Quando trabalho o 4º mandamento, sempre convido as crianças a desenharem suas famílias. Fico encantada com os desenhos. Através destes desenhos, podemos conhecer um pouco da família de cada um.


10 outubro, 2011

Correio de Maria


O Correio de Maria  não aderiu à grave dos correios! rsrs 





Correio de Maria do dia 8.10.2011:

"Deus eu quero muita paz na minha família e no de todas as famílias do mundo inteiro e também quero que o bebê da minha mãe nasça em paz, com nem um problema."

"Peço só uma coisa: saúde, sabedoria e tudo de bom não só pra mim mas pra toda a minha família, mãe até meus inimigos."

"Eu quero pedir alegria, felicidade, paz para todo mundo. Eu também quero pedir quando eu morrer ele me levar para o céu, e eu ser jogado de futebol."

*
*
*
Não conhece ainda o Correio de Maria? Leia mais aqui


02 outubro, 2011

Reflexão antes de ler a Bíblia (7 chaves)



Criei uma dinâmica para fazer na reunião de pais. Desenhei 7 chaves de EVA. Usei como modelo a chave do meu quarto.
Numerei as chaves e em cada uma, escrevi uma atitude que devemos ter quando lemos a Bíblia, inspirada no texto "As 7 chaves para ler a Bíblia" (leia aqui.).
Escrevi em folhas brancas a explicação de cada atitude.
Entreguei para alguns pais dos catequizandos as chaves, e para outros o texto explicando a chave.
Seguindo a ordem, fui chamando a chave 1, a chave 2, e assim por diante. Um lia a chave e o outro lia a explicação da chave. Foi maravilhoso. Numa próxima oportunidade, vou aplicar com meus catequizandos antes de fazer uma leitura da Palavra de Deus.

29 setembro, 2011

Vírus


Não consigo acessar dois blogs, porque meu anti-vírus bloqueia dizendo que há vírus nestes blogs.  Precisei tirar as atualizações dos blogs da página, para conseguir acesso a meu blog,  que também ficou bloqueado devido aos blogs que estão com vírus. Alguém sabe o que está acontecendo?

27 setembro, 2011

Vamos pular amarelinha?

Amarelinha dos mandamentos.
Numerada de 1 a 10.
Joga. Fala o mandamento correspondente ao número. Pula.



23 setembro, 2011

Adote um catequizando

Gente, aderimos a campanha "Adote um catequizando".  Achei linda a ideia da Imaculada Cintra e domingo passado dei o aviso na missa (aproveitando que é o mês da Bíblia).  Pedimos doações de bíblias para os catequizandos,  pois  a maioria das crianças não têm. O ideal seria que todos os catequizandos tivessem a bíblia para que pudessem acompanhar as leituras bíblicas  e a pegar intimidade com a palavra de Deus.  Segundo a catequese Renovada, " a bíblia é ' a primeira fonte da catequese".

Imagem: weheartit
Para ler mais sobre a campanha, acesse Sou Catequista de IVC



21 setembro, 2011

Tia Cris

Eu e o catequista que me ajuda nos encontros. Mimo de uma catequizanda. Dizendo ela que ele está piscando para mim. Fofo demais. Só não sei da onde ela me arranjou este cabelo liso.



17 setembro, 2011

Atividade pós-missa

Catequistas Unidos, apresento a vocês o coordenador da Catequese de Primeira Eucaristia da minha comunidade. O nome dele é Clóvis. Pedi para ele escrever sobre uma das atividades que desenvolvemos na catequese. Aproveito para dizer  que o Clóvis é uma benção na nossa catequese. Deixo vocês com ele!

*
*
*

Não há momento mais propício para partilhar o que agora escrevo.
Mês de setembro, mês da Bíblia. Período oportuno para que cada cristão tenha acesso à Palavra de Vida Eterna e maior intimidade com a Palavra de Deus, que nos fala no íntimo de nossos corações.
Na catequese, temos diversas formas para trabalharmos o tema com nossos catequizandos. Mas como chegar aos pais, às famílias dessas crianças? (façamos o seguinte, quando me referir aos Pais, entenda-se também responsáveis, visto que, infelizmente algumas crianças não convivem com seus pais).
Muitos pais não tem participação alguma na vida da comunidade, na vida da Igreja. Como chegar até eles e como impulsioná-los a participar da Santa Missa?
O meio que encontramos foi o seguinte:
1 - em cada missa de domingo é entregue à cada criança, da catequese ou não, uma atividade relacionada ao Evangelho do dia;
2 – as atividades variam entre perguntas relacionadas à liturgia ou a preparação de uma mensagem ou desenho que retrate o que a criança viveu na celebração;
3 – todas as atividades começam tem em seu enunciado o seguinte: leia com seus pais o Evangelho de hoje e...
4 – no encontro seguinte cada catequista deve partilhar com suas respectivas turminhas, a atividade do domingo passado, assim será possível incentivar à leitura da Palavra de Deus, a oração e participação da Missa, já que somente aqueles que vão a Missa recebem a atividade.


Clique aqui para ver atividade do dia 18/9

Paz e Bem!
Clóvis de Freitas




13 setembro, 2011

Os 12 Mandamentos da Paz

Na ocasião da CF2009,  meus catequizandos criaram os Mandamentos da Paz:

1. Amar e respeitar a todos
2. Amar e ter carinho com a nossa família
3. Dialogar com as pessoas
4. Não brigar
5. Não agredir qualquer pessoa verbalmente ou fisicamente
6. Não devolver o mal
7. Não maltratar o próximo
8. Não matar
9. Não usar nenhum tipo de droga
10. Respeitar a natureza e os animais
11. Ter solidariedade com as pessoas
12. Dizer não as coisas ruins da vida

Créditos: Texto criado por crianças de 9 a 10 anos da minha turma da catequese, depois de estudar a CF 2009: A paz é fruto da justiça.

Sete Chaves Para Ler a Bíblia


  1. Pés: Bem plantados na realidade.
    Para ler bem a Bíblia é preciso ler bem a vida, conhecer a realidade pessoal, familiar e comunitária do país e do mundo. É preciso conhecer também a realidade na qual viveu o Povo da Bíblia. A Bíblia não caiu do céu prontinha. Ela nasceu das lutas, das alegrias, da esperança e da fé de um povo (Ex 3,7).
  2. Olhos: Bem abertos.
    Um olho deve estar sobre o texto da Bíblia e o outro sobre o texto da vida. O que fala o texto da Bíblia? O que fala o texto da vida? A Palavra de Deus está na Bíblia e está na vida. Precisamos ter olhos para enxergá-la.
  3. Ouvidos: Atentos, em alerta.
    Um ouvido deve escutar o chamado de Deus e o outro escutar o seu irmão.
  4. Coração: Livre para amar.
    Ler a Bíblia com sentimento, com a emoção que o texto provoca. Só quem ama a Deus e ao próximo pode entender o que Deus fala na Bíblia e na vida. Coração pronto para viver em conversão.
  5. Boca: Para anunciar e denunciar.
    Aquilo que os olhos viram, os ouvidos ouviram e o coração sentiu a palavra de Deus e a vida.
  6. Cabeça: Para pensar.
    Usar a inteligência para meditar, estudar e buscar respostas para nossas dúvidas. Ler a Bíblia e ler também outros livros que nos expliquem a Bíblia.
  7. Joelhos: Dobrados em oração.
    Só com muita fé e oração dá para entender a Bíblia e a vida. Pedir o dom da sabedoria ao Espíri to Santo para entender a Bíblia.
Autor: Jaime Francisco de Moura

Conheci este texto maravilhoso no blog Amando a catequese

30 agosto, 2011

Dinâmica para catequese- Varal dos Mandamentos (Primeira Eucaristia)

Encontrei a dinâmica do Varal dos Mandamentos no blog da Imaculada e apliquei na minha turma. Foi maravilhoso trabalhar mandamentos brincando de colocar roupas no varal. Confeccionei roupas de cartolina, e depois escrevi, com pincel, cada um  dos 10 mandamentos em tiras de papel e fui colando em cada peça de roupa.  Coloquei as roupas de cartolina numa bacia, e até vesti um avental. Disse as crianças que iria lavar roupa, peguei o manual da máquina e comecei a ler algumas instruções. Depois pedi ajuda deles para colocar as roupas no varal. Para concluir expliquei que somos como uma máquina de lavar, precisamos de um manual de instruções que é os 10 mandamentos. 



 Leia as instruções desta dinâmica no Blog da Imaculada: Sou Catequista de IVC. Clique aqui




15 agosto, 2011

Dinâmica da moldura


   Neste quadro, está a gravura da Família de Nazaré, a família  modelo, com toda a sua simplicidade e humildade. Mas todo o quadro precisa de uma moldura e eu gostaria de contar com a participação de vocês para montar essa moldura. Vocês aceitam? Não precisa ter medo, que não é necessário falar nada. É só pegar um desses pedaços de cartolina, escritos com aquilo que essa família viveu e que precisamos para nossa família ser feliz e colar na gravura para irmos formando o quadro. Certo?








SUGESTÃO DE PALAVRAS:

Paciência  É aquilo que nos faz acertar, mais do que errar.  Ajuda-nos a ser amados. Faz bem aos outros e a nós.

Caridade- Principalmente no falar. As palavras as vezes machucam mais que um tapa. Caridade em tudo, mas principalmente nas palavras.

 Fé- Só os que tem fé constróem uma família feliz, pois só ela nos sustenta.  Ela nos dá força, perseverança...(construir tijolo por tijolo, cada alegria, cada tristeza...)

Persistência: Fazer e refazer, ensinar e ensinar, falar e falar de novo, calar e calar, mas NÃO DESANIMAR.

Diálogo: Conversa onde todos falam, um de cada vez. Todos são escutados e podem falar para se chegar a uma solução do problema.


Esperança- Mesmo que os problemas sejam muitos, sempre há esperança de se resolvê-los. No relacionamento com os filhos  muitas vezes há ralâmpagos, trovões, chuva, nuvens carregadas, mas o sol continua a brilhar.

Humildade: Diante do esposo, colaborando com ele. Diante da esposa não sendo machão. Diante dos filhos não querendo dar um de sabichão. Diante dos pais aceitando que eles tem mais experiência.

Fidelidade: Às pessoas e aos compromissos da família. Difícil nos dias de hoje, mas não impossível.

Confiança- Precisamos dela para amar. Quem não confia não ama.

Carinho- Quem não gosta de uma palavra ou um gesto de carinho? A

Tempo: Este é difícil. Temos tempo prá tudo. É preciso arrumar tempo para FICAR com a família.

Doação-  Fazer tudo gratuitamente, sem pensar em agradecimento. É o amor cristão. EX: Pessoas que fazem para cobrar.


Sugestão do  www.saosebastiaoparoquia.com.br (Com adaptações)



04 agosto, 2011

Oficinas Catequéticas


Final  de semana passado aconteceu por aqui as Oficinas Catequéticas. São dois dias em que catequistas de todo o setor partilham sobre Espiritualidade, Liturgia, Música e Bíblia. Nas oficinas do ano passado e deste ano, recebemos estas duas lembrancinhas muita fofas, que podemos confeccionar para nossos catequizandos. O caderno com a boneca de EVA foi feito pela Paróquia Santíssima Trindade. E o lápis com a cabecinha de menino ou menina de EVA  foi confeccionado pela Comunidade São José Operário, da Paróquia Nossa Senhora da Paz!




02 agosto, 2011

Acolhida na Catequese







Saber acolher

A acolhida é o primeiro sinal da presença de Cristo no encontro catequético. Ela requer atitudes pessoais de abertura, de doação e de atenção ao outro. Os gestos de acolhida, quando sinceros, expressam generosidade e sinceridade, de modo que, ao abrir os braços para quem o acolhe, o outro se sinta de fato amado e aceito. O acolhimento é presença feita de atenção total: ouvir e escutar com interesse. É acolher e recolher o mundo do nosso próximo por meio do amor, e não apenas da simpatia ou da empatia. A acolhida caracteriza-se não só pelo gesto feito, mas pela maneira como é feito, isto é, com qualidade, com constância e partilhada. A acolhida é uma etapa importantíssima no processo catequético. A mensagem cristã só frutificará se o terreno a que se destina for verdadeiramente humano. Não há encontro catequético sem acolhimento, pois o catequizando necessita sentir-se acolhido para se encontrar com Deus.A relação amorosa com Deus, que a catequese quer provocar, passa pela experiência de acolhimento do catequista. Cabe ao catequista acolher de forma incondicional cada catequizando. Tal acolhimento, de modo concreto, se traduz na confiança que o catequista manifesta ter no catequizando, principalmente nos seus recursos e potencialidades, para que este possa realizar-se plenamente como pessoa. Faz parte do perfil desejado do catequista ser capaz de descobrir a profunda originalidade de cada catequizando, sinal de liberdade com que cada qual faz a sua caminhada catequética. Da descoberta dessa originalidade nasce profundo amor e respeito pela pessoa. O amor é plenamente realizado quando o outro é aceito tal como ele é. O acolhimento não se reduz ao momento dos encontros catequéticos ou das celebrações da comunidade, mas deve ser algo constante na vida do catequista e estender-se a todos da comunidade, bem como aos não praticantes e aos que estão afastados da vida cristã.

A prática acolhedora de Jesus

Como Jesus acolhia as pessoas? Na época de Jesus, só as pessoas consideradas "puras" eram dignas de se aproximar de Deus e se integravam na sociedade. Eram as que conseguiam cumprir todos os 613 mandamentos da religião judaica e não tinham doenças nem outros problemas na vida. Os pobres, os pecadores, os doentes e os abandonados eram impuros, excluídos do templo e da comunidade, e, como tais, não podiam se aproximar de Deus. Contudo, Jesus quebrou essa prática: acolhia todas as pessoas ems eu grupo e era colhidoo nos grupos delas. Para Jesus, "acolher" era também " buscar". Eis alguns gestos significativos de acolhimento de Jesus:
A parábola da ovelha perdida (Mt 18, 12); a cura da sogra de Pedro (Mc 1, 29-34).
A samaritana (jo 4, 1-26): Zaqueu (Lu 19,5); os discípulos de Emaús (Lc 24, 13-35).
Podemos encontrar outras tantas situações em que Jesus acolhe as pessoas:
O carinho pelas crianças (Lc 18, 15); a compaixão para os que estavam abatidos (Mt 9, 35-38); o encontro com Marte e Maria (Jo 11) e outros. O acolhimento é sinal de que o reino de Deus está no meio de nós (Lc 17, 21). O reino de Deus não é a vida após a morte; é um novo jeito de as pessoas se relacionarem que parte da acolhida e da confiança mútuas, da solidariedade, da alegria de nos reconhecermos como filhos de Deus, do compromisso com os fracos e pequenos, da renúncia a nós mesmos, numa entrega toral da vida a serviço dos irmãos.

Gestos de acolhida
Começar os encontros com cumprimentos, saudações, sorrisos, abraços, apertos de mão. Visitar as famílias dos catequizandos em ocasiões especiais, como aniversários, perdas etc. Servir-se da internet ou telefone para manisfestar atenção e carinho. Antes e depois dose encontros catequéticos, permanecer entre os participantes  interessando-se por eles, ouvindo seus problemas.

Fonte: Revista Ecoando. Ano IX. Nº33

29 julho, 2011

Dinâmica para catequese: Boliche Catequético- Derrubando o pecado


A catequista Jane confeccionou este boliche com garrafas de refrigerante para dinamizarmos  o encontro de catequese sobre o pecado.

Como brincar: forme dois grupos. Ganha o grupo que derrubar mais garrafas com as etiquetas azuis.





Vamos ver o que o catecismo (Youcat) diz sobre o pecado?

O que é pecado?
O cerne do pecado é a rejeição de Deus e a recusa de aceitar o Seu amor. Isto revela-se no desdém pelos Seus Mandamentos. [385-390]
Pecado é mais do que um comportamento errôneo; é também uma fraqueza física. Na sua natureza mais profunda, essa rejeição ou destruição de algo bom é a recusa do Bem por excelência, isto é, a recusa de Deus. O pecado, a sua mais profunda e terrível dimensão,  é a separação da fonte da vida, daí que a morte seja também a consequência  do pecado.

Como nos retira Deus da sucção do mal?
Deus não fica a assistir à forma sucessiva como o ser humano se destrói a si mesmo e ao seu ambiente, através da reação em cadeia do pecado. Ele envia-nos Jesus Cristo, o Salvador e Redentor, que nos arranca do poder do pecado. [410-412,420-421]
"Ninguém me pode ajudar." -esta frase da experiência  humana deixou de ser verdade. Deus Pai enviou o Seu filho onde o ser humano, com o seu pecado, acabava. A consequência do pecado é a morte (cf. Rm 6,23). Mas a consequência do pecado é também a maravilhosa solidariedade de Deus, que nos envia Jesus como amigo e salvador.

Obrigada. Deus ama você.
Cris Menezes
Catequizando Feliz-Blog

Post atualizado em 22/06/2016

22 julho, 2011

acordar vestido para o milagre


"O amor não aceita amadores. 
Quando se ama, acorda-se vestido para o milagre. 
Soltos pelo riso, nunca amarrados pelo grito."

Fabrício Carpinejar



Foto: weheartit

20 julho, 2011

Ser cristão é...




..."Porque ser cristão é isto: é ser Jesus de novo." (Padre Fábio de Melo)
Onde se lê cristão, leia-se catequista.




18 julho, 2011

Sacramento da comunhão




Senhor, quando te vejo no sacramento da comunhão, Sinto o céu se abrir e uma luz a me atingir, esfriando minha cabeça e esquentando meu coração! Senhor, graças e louvores sejam dados a todo momento. Quero te louvar na dor, na alegria e no sofrimento. E se em meio à tribulação, eu me esquecer de Ti, iIlumina minhas trevas com Tua luz. Jesus, fonte de misericórdia que jorra do templo Jesus, o Filho da Rainha Jesus, rosto divino do homem Jesus, rosto humano de Deus. Chego muitas vezes em Tua casa, meu Senhor Triste, abatido, precisando de amor.  Mas depois da comunhão Tua casa é meu coração. Então sinto o céu dentro de mim. Não comungo porque mereço, isso eu sei, oh meu Senhor Comungo pois preciso de ti Quando faltei à missa, eu fugia de mim e de Ti Mas agora eu voltei, por favor aceita-me.

Formação para o catequista: Viver a Eucaristia

Fonte: Crescer em comunhão- Livro do catequista. Vol. 3

"Existem muitas pessoas que sofrem no mundo, porém nem toda dor é sem razão. Existem alguns sofrimentos que geram a vida. Pensemos em uma mãe que sofre no parto para ter um bebê, depois passa a noite toda cuidando de seu filhinho doente, no cansaço de tantos trabalhadores que sustentam a sua família com o suor do seu rosto, na morte daqueles que doaram a vida pelo que acreditaram: Dom Oscar Romero, Ir. Dorothy Stein, Ir. Lindalva de Oliveira. Jesus fez exatamente isso. Ofereceu a sua vida para fazer o bem a todos. Sua morte não foi em vão, pois morreu doando a vida. De sua morte brotou a força da ressurreição. Isso é Páscoa: morrer para viver! A morte transforma-se em vida! Não nos esqueçamos que a Eucaristia é o memorial da Páscoa do Senhor. O termo memorial nos traz à mente as palavras memória e recordação. Contudo. o termo memorial não significa uma mera lembrança do passado, mas sim fazer novamente hoje o que Deus fez no passado; não é repetir, mas celebrar. Em cada Celebração Eucarística, a dinâmica da Páscoa (morte-vida) do Senhor se repete. Nós, como Igreja, também participamos desta dinâmica pascal. O mistério pascal deve ser vivido por todos que aproximam da Mesa da Comunhão. Não podemos comungar o Cristo e não vivermos como Ele viveu. Participar da Eucaristia significa oferecer a vida para que brote a vida. Oferecer nosso tempo, nossa caridade, nossos esforços, nossos sacrifícios para que no mundo o Reino de Deus aconteça, para que exista menos dor e mais felicidade. Assim, poderemos rezar com a Oração Eucarística III: "Fazei de nós uma perfeita oferenda". Assim podermos rezar: "Minha missa é minha vida e minha vida é uma missa prolongada!" (DA 191).Portanto, 'A Eucaristia é o lugar privilegiado do encontro do discípulo com Jesus Cristo. Com este sacramento, Jesus nos atrai para si e nos faz entrar em seu dinamismo em relação a Deus e ao próximo. Há um estreito vínculo entre as três dimensões da Vocação Cristã:crer, celebrar e viver o mistério de Jesus Cristo, de tal modo que a existência cristã adquira verdadeiramente uma forma eucarística. [...] A Eucaristia, fonte inesgotável da vocação cristã, é, ao mesmo tempo, fonte inextinguível do impulso missionário. Ali o Espírito Santo fortalece a identidade do discípulo e desperta nele a decidida vontade de anunciar com audácia aos demais o que tem escutado e vivido' (Cf, DA 251).

"Os catequistas precisam estar atentos para algumas interpretações errôneas da Eucaristia: às vezes, fala-se muito da cruz de Jesus, da Sexta-feira Santa e pouco da Páscoa. Ter vida eucarística significa participar da vida do Cristo ressuscitado presente no altar. A missa não é a tristeza da cruz, mas a alegria da ressurreição. Outro risco é pensar que a Eucaristia é somente presença real no pão consagrado, ou seja, pensar na hóstia como algo mágico, esquecendo-se do mistério todo e do modo como assumimos este mistério na nossa vida. O sinal visível- o pão e o vinho consagrados- nos levam para um mistério mais profundo: viver como Jesus viveu e fazer com que sua vida se prolongue na nossa própria vida. Eucaristia é mais do que adorar a hóstia consagrada, é mais do que receber o pão consagrado: tratar-se de viver em conformidade com o Cristo. Comungar e adorar a Eucaristia são ao mesmo tempo sinais e meios de uma vida eucarística."


Uma oração a Maria


"Eu escolho-te hoje, ó Maria, em presença de todos os anjos, como minha mãe e minha rainha. Ofereço-te o meu corpo, a minha alma e o meu espírito. Ofereço-te tudo o que fiz de bem ontem, hoje e amanhã. Ofereço-me a ti para que me conduzas, agora e sempre no amor de Deus."


Autor: São Luiz Maria G. de Montfort

15 julho, 2011

Pão Novo

"Era um fim de tarde de sábado. Eu estava molhando o jardim da minha casa, quando vi um menino parado junto ao portão. Olhando, me perguntou:
-Dona, tem pão velho?
Essa coisa de pedir pão velho sempre me incomodou...Olhei para aquele menino tão triste e perguntei:
-Onde você mora?
Ele logo me respondeu:
-Depois do zoológico.
Então comentei: -Bem longe, hein?
Com a voz triste, disse-me: -É...mas eu tenho que pedir as coisas para comer. Fiquei interessada pela vida do menino e perguntei-lhe: Você está na escola?
-Não. Minha mãe não pode comprar material- ele respondeu, esperando continuar com o diálogo.
-Seu pai mora com vocês?
-Não, ele sumiu.
E o papo prosseguiu, até que eu disse:
-Vou buscar o pão. Serve pão novo?
-Não precisa, não. A senhora já conversou comigo, isso é suficiente.

Essa resposta caiu em mim como um raio. Tive a sensação de ter absorvido toda a solidão e a falta de amor daquela criança. Tão nova e já sem sonhos, sem brinquedos, sem comida, sem escola e tão necessitada de um papo, de uma conversa amiga.
Quantas lições podemos tirar desta resposta: "Não precisa, não. A senhora já conversou comigo, isso é suficiente!"
Que poder mágico tem o gesto de falar e ouvir com amor! Os anos se passaram e continuam pedindo 'pão velho' na minha casa... e eu dando 'pão novo', mas procurando antes compartilhar o pão das pequenas conversas, o pão dos gestos que acolhem e promovem.
Este pão de amor não fica velho, porque é fabricado no coração de quem acredita naquele que disse: 'Eu sou o pão da vida!"

(Autor desconhecido)

Fonte: Revista Ecoando. Ano IX. Nº 33

14 julho, 2011

Somos catequistas porque...

Somos catequistas porque descobrimos a alegria de acreditar e de viver no seguimento do Evangelho. E isto para nós significa:
     – escutar Jesus através do Evangelho;
     – procurar ver todas as pessoas e acontecimentos tal como Ele as veria hoje;
     – com a sua ajuda, ir transformando a nossa pessoa de modo a vivermos ao seu estilo, ao seu jeito.

[...]
Estamos sempre em situação de mudança, a fim de sermos cada dia um pouco mais pessoas que esperam, amam e acreditam como Jesus. O nosso esforço consiste em evitar que a nossa fé e a nossa vida andem por caminhos distintos.(…)


Autor: Luis Otero e Joan Brulles
Fonte: A paixão de ser catequista

12 julho, 2011

Padroeira da Primeira Comunhão


Nós temos uma padroeira da Primeira Comunhão. O nome dela é Beata Imelda Lambertini. Ela era criança e já tinha um profundo amor pela eucaristia, mas por causa da idade, não podia receber Jesus na hóstia santa. No dia 12 de maio de 1333, sendo-lhe negada mais uma vez a Eucaristia,  "Quando ela rezava e chorava ainda, eis que uma hóstia saiu milagrosamente do vaso sagrado, elevou-se no ar e atravessou a capela. Sem que nenhuma mão a segurasse, foi parar por cima da cabeça de Imelda, que continuava ajoelhada e adorava respeitosamente o seu Deus."  Neste dia, Imelda recebeu a Eucaristia, mas tamanha foi sua felicidade, que sua alma correu ao encontro de Deus."A sua primeira Comunhão tinha terminado no céu."


Descobri esta história através do blog Amiga de Jesus. Leia toda a história  aqui
Trechos em azul são citações do blog citado acima.

10 julho, 2011

Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos



"É preciso que eu fique hoje na sua casa." Lc 19, 5)

As visitas às famílias (ou a outros ambientes onde se encontrarm os catequizandos) devem ser frequentes, pois a realidade muda constantemente. Sejam feitas no mínimo duas visitas a cada semestre.
O catequista organize uma lista de controle de visitas, de tal modo que possa assinalar a frequência das visitas e as principais observações. Seria muito interessante começar pelos mais estranhos e afastados da vida da comunidade.
Uma preparação do grupo de catequistas precisa ser feita antes das visitas. Planejar como fazer, o que fazer, como abordar as famílias é indispensável. Tudo isso à luz de muita oração.
Quando dois catequistas assumem uma turma de catequizandos, é importante que os dois façam as visitas juntos. Assim, um apoia e anima o outro.
Ao chegar à casa do catequizando, o catequista se apresente e fale claramente de sua alegria de conhecer aquela família.
As visitas não podem ser forçadas. Se a família não está disposta para receber o catequista ou mesmo não quer a visita, não se deve insistir. Deus providenciará uma ocasião melhor!
O visitador não deve levar nenhum papel ou caneta para fazer anotações na frente das pessoas visitadas. Não é censo  ou levantamento do IBGE. Isso cria barreiras e resistências. Alguma observação importante seja anotada posteriormente.
É importante ouvir atentamente as pessoas, sem a preocupação de resolver seus problemas ou aconselhar. Isso até poderia acontecer, depois se necessário e possível. O momento da visita é para contato, conhecimento, criar laços de amizade e confiança. 
É possível diante da pluralidade religiosa, que o catequista encontre, por ocasião das visitas, pessoas que não são católicas. Esteja preparado para lidar com as diferenças e respeitá-las!
As visitas não sejam prolongadas demais e nem em horários inconvenientes.
Vale lembrar, ainda, que cada pessoa e cada lar é um "santuário", por isso, merece respeito e discrição. Nada deverá ser comentado depois, a não ser algum problema que mereça ser encaminhado com a ajuda de terceiros.
O catequista sempre se lembre que vai em nome de Jesus! Não há motivos, portanto para medos ou inseguranças. É certo que o Espírito Santo vai sempre na frente, preparando os caminhos!

Texto partilhado em um encontro com catequistas sobre a importância de visitar às famílias dos catequizandos.

Fonte: Revista Ecoando

A primeira que comungou



A primeira que comungou foi a Virgem Maria 
A primeira que recebeu Jesus no coração 
A primeira que anunciou foi a Virgem Maria 
E gerou na fé o profeta que de Izabel nasceu 

Foi por ela que aconteceu a primeira adoração 
E quando os magos a encontraram 
Houve a primeira grande exposição 
Mãe capela do santíssimo sacrário do amor 

Expõe para nós teu filho 
Expõe para nós teu filho 
Mãe capela do santíssimo morada do senhor 
Expõe para nós teu filho 
Expõe para nós teu filho 
Primeiro ostensório do senhor

08 julho, 2011

Cartinha de Catequizando...


...deixada no Correio de Maria. Eu sorri muito quando vi. O catequizando desenhou meu cabelo enrolado!!  Acho que ninguém me retratou tão bem! ha :) 

 Conheça o Correio de Maria aqui.

07 julho, 2011

Caixa para Dinâmicas e revisão

Vi a sugestão no blog da Imaculada (Veja  aqui ). Inspirada então no tutorial, confeccionei uma caixa para mim. Ficou bem legal. Eu gostei. Usei para sortear o amigo-anjo e para fazer a revisão.




Revisão dos Encontros:
Numerei um papel cartão e coloquei dentro da caixa que ia passando entre os catequizandos. Cada um retirava um número. De 1 a 10, tinha perguntas sobre os encontros. Levei pirulito para entregar a cada resposta certa.

Amigo -anjo (Ou Anjo da guarda- Peguei a sugestão do site catequisar, mas achei mais interessante trocar o nome)
O amigo anjo fiz com a turma de segundo ano. Cada catequizando escreveu seu nome no papel e depositou na caixinha. Depois, cada um tirou  um nome.  Cada catequizando tinha que escrever uma mensagem para seu amigo-anjo. Colocamos as cartinhas no correio de Maria ( veja aqui)  e entregamos no final do encontro. Na oração final, cada um revelou seu anjo-amigo. 

Mudança- Casa nova de novo!

Oi, catequistas Unidos!!

Eu mudei novamente o modelo do meu blog.  Na verdade, troquei com o modelo do meu blog de poesia (veja aqui ) . Percebi que este  modelo combina mais com a catequese:  tem a casinha que lembra a igreja onde nos reunimos para os encontros. A casa parece que ficou mais espaçosa e acolhedora.  Tenham um ótimo dia. abçs

05 julho, 2011

Formação para o catequista: Frutos da Comunhão (Eucaristia)

Ajuda para o catequista


 O Senhor Jesus nos convida à comunhão com Ele: "Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes do seu sangue não tereis a vida em vós" (Jo 6, 53). Diante deste convite do Senhor, só podemos responder como aquele centurião que queria a cura do seu empregado, como fazemos em todas as missas: "Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo" (Rito da Missa, inspirado em Mt 8, 8). Pelo Sacramento da Eucaristia recebemos os frutos da comunhão que são:
1. O aumento da nossa união com Cristo- Como o alimento normal fortalece o corpo, o Pão Eucarístico nos dá uma graça invisível. Somos alimentados no espírito para vivermos como Jesus, renovando a graça que recebemos no batismo.
2. Viver separados/longe do pecado- A Eucaristia fortalece a vivência do amor, nos dá forças para lutarmos contra o mal e apaga os pecados veniais.
3. Participar da Igreja- A Eucaristia faz a Igreja. Somos chamados pelo batismo a sermos um só corpo. A Eucaristia nos dá esta graça da unidade (Cf CIC 1391-1401).
4. Estar em estado de graça- A Igreja nos pede que estejamos em estado de graça, que não tenhamos pecado gravemente. Por isso, a Igreja destaca a importância de participarmos do Sacramento da Reconciliação. No entanto é preciso compreender que o objetivo do Sacramento da Reconciliação não é para receber a Comunhão, mas sim a reconciliação com Deus, a acolhida do dom da misericórdia de Deus.

Para receber a Comunhão é preciso observar o que a Igreja nos pede:
Jejum de uma hora antes da comunhão- Lembrando que água e remédios não quebram o jejum.
Preparar o coração com piedade- É necessário estar envolvido pelo momento de Comunhão, silenciando para acolher o Cristo que vem fazer morada em nós.

Algo Mais: A Igreja nos orienta a : Participar da divina liturgia aos domingos, e nos dias festivos e receber a Eucaristia pelo menos uma vez ao ano, se possível no tempo pascal, preparados pelo sacramento da reconciliação. Mas recomenda vivamente aos fiéis que recebam a Santa Eucaristia nos domingos e dias festivos, ou ainda com maior frequência, e até todos os dias" (CIC 1389)

Fonte: Crescer em Comunhão- Livro do Catequista- Vol.3

Anjos de Resgate - Majestosa Eucaristia

"Em tua presença eu me sinto,
um mendigo sentado à mesa de um rei
e sem ter como pagar tamanha refeição,
só posso dar-te eterna gratidão.
O cálice e a hóstia eram um,
meu desejo também era com eles ser um.
"Ser um só coração, meu senhor!
O mesmo sangue nas veias, senhor!
E estando unido a ti, esquecer-me de mim,
concedei que eu fique eternamente assim."
Anjos de Resgate
http://www.youtube.com/watch?v=u3VK9dEu6aY

Oração para iniciar a catequese

Bom dia, Jesus! Eu gosto muito de Ti e de ser filho de Deus. E com todos os cristãos começo o meu dia com o sinal da cruz: Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.
Jesus, obrigado por este novo dia! Ajuda-me a recordar que, aconteça o que acontecer, Tu estás sempre pertinho de mim, para me protejer. Você é como o ar que respiramos: não se vê, mas está sempre presente e sem ele não podemos viver. Jesus, peço-te que ao longo deste dia cuide do meu pai, da minha mãe, dos meus irmãos, dos meus amigos e professores e de todas as outras pessoas. Cuida também de mim e ajuda-me nos meus estudos e nas minhas tarefas em casa. Jesus fica sempre comigo! Ensina-me a respeitar todas as pessoas, pois somos todos irmãos- e a perdoar se alguém me ofender. Quero lembra-me sempre da oração que você nos ensinaste para podermos conversar com nosso Pai do Céu, por isto vou rezar: Pai Nosso...


Fonte: http://primeiracomunhao.org (Com adaptações)

04 julho, 2011

Maria Desatadora de Nós


Oração a "Nossa Senhora Desatadora dos Nós"

Virgem Maria, Mãe do belo amor,
Mãe que jamais deixa de vir
em socorro a um filho aflito,
Mãe cujas mãos não param nunca
de servir seus amados filhos,
pois são movidas pelo amor divino
e a imensa misericórdia
que existem em teu coração,
volta o teu olhar compassivo sobre mim
e vê o emaranhado de nós
que há em minha vida.
Tu bem conheces o meu desespero,
a minha dor e o quanto estou amarrado
por causa destes nós.
Maria, Mãe que Deus
encarregou de desatar os nós
da vida dos seus filhos,
confio hoje a fita da minha vida em tuas mãos.
Ninguém, nem mesmo o maligno
poderá tirá-la do teu precioso amparo.
Em tuas mãos não há nó
que não poderá ser desfeito.
Mãe poderosa, por tua graça
e teu poder intercessor
junto a Teu Filho e Meu Libertador, Jesus,
recebe hoje em tuas mãos este nó.........
Peço-te que o desates para a glória de Deus,
e por todo o sempre.
Vós sois a minha esperança.
Ó Senhora minha,
sois a minha única consolação dada por Deus,
a fortaleza das minhas débeis forças,
a riqueza das minhas misérias, a liberdade,
com Cristo, das minhas cadeias.
Ouve minha súplica.
Guarda-me, guia-me,
protege-me, ó seguro refúgio!
Maria, Desatadora dos Nós, roga por mim.