10 julho, 2011

Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos



"É preciso que eu fique hoje na sua casa." Lc 19, 5)

As visitas às famílias (ou a outros ambientes onde se encontrarm os catequizandos) devem ser frequentes, pois a realidade muda constantemente. Sejam feitas no mínimo duas visitas a cada semestre.
O catequista organize uma lista de controle de visitas, de tal modo que possa assinalar a frequência das visitas e as principais observações. Seria muito interessante começar pelos mais estranhos e afastados da vida da comunidade.
Uma preparação do grupo de catequistas precisa ser feita antes das visitas. Planejar como fazer, o que fazer, como abordar as famílias é indispensável. Tudo isso à luz de muita oração.
Quando dois catequistas assumem uma turma de catequizandos, é importante que os dois façam as visitas juntos. Assim, um apoia e anima o outro.
Ao chegar à casa do catequizando, o catequista se apresente e fale claramente de sua alegria de conhecer aquela família.
As visitas não podem ser forçadas. Se a família não está disposta para receber o catequista ou mesmo não quer a visita, não se deve insistir. Deus providenciará uma ocasião melhor!
O visitador não deve levar nenhum papel ou caneta para fazer anotações na frente das pessoas visitadas. Não é censo  ou levantamento do IBGE. Isso cria barreiras e resistências. Alguma observação importante seja anotada posteriormente.
É importante ouvir atentamente as pessoas, sem a preocupação de resolver seus problemas ou aconselhar. Isso até poderia acontecer, depois se necessário e possível. O momento da visita é para contato, conhecimento, criar laços de amizade e confiança. 
É possível diante da pluralidade religiosa, que o catequista encontre, por ocasião das visitas, pessoas que não são católicas. Esteja preparado para lidar com as diferenças e respeitá-las!
As visitas não sejam prolongadas demais e nem em horários inconvenientes.
Vale lembrar, ainda, que cada pessoa e cada lar é um "santuário", por isso, merece respeito e discrição. Nada deverá ser comentado depois, a não ser algum problema que mereça ser encaminhado com a ajuda de terceiros.
O catequista sempre se lembre que vai em nome de Jesus! Não há motivos, portanto para medos ou inseguranças. É certo que o Espírito Santo vai sempre na frente, preparando os caminhos!

Texto partilhado em um encontro com catequistas sobre a importância de visitar às famílias dos catequizandos.

Fonte: Revista Ecoando

6 comentários:

CoIsAs de AnGéLiCa disse...

Oi Cris. Acho muito bom esse contato com as familias e sempre faço algumas visitas tbem, quando eles faltam ou estão doentes, mando mns para avisar missas e reuniões. fico bem feliz porque da muito certo.
Beijinhos Angélica

Cláudia de Jesus disse...

Cris que texto maravilhoso,todas as catequistas devem ler.

Paz de Cristo!

Renata Schmitz Furlan disse...

Olá Cris! Passando pra desejar uma ótima e abençoada semana! Fica na paz do Senhor! bjo no ♥! Ah, gostei desse post, posso copiar e colocar no meu? Obrigada minha linda!

Cristiane disse...

CRIS,PARECE QUE VC ADVINHOU O QUE EU ESTAVA PRECISANDO,ESTOU COM UM ENORME PROBLEMA COM OS PAIS DOS CATEQUIZANDOS QUE IRÃO FAZER A 1ª EUCARISTIA ,NÃO SÃO PARTICIPATIVOS EM NADA,ACHO QUE DESCOBRI A SOLUÇÃO COM ESTE POST SEU,BEIJUS E DEUS A ABENÇOE.

Cláudia de Jesus disse...

Vim lhe desejar uma boa semana!
Tudo para honra de Deus!
Paz de Cristo!

Catequistas Unidos

Catequese Kids disse...

Oii Cris! A visita às famílias faz mtaaa diferença no trabalho evangelizador da catequese...
Assim que retornarmos do recesso vou levar este texto para os meus colegas!
Obrigadão!
Beijocas,
Layse