Catequista também é gente





Por Cris Menezes

Uma vez encontrei uma catequizanda da minha paróquia no shopping. Quando ela me viu, veio correndo  e disse: "Tia, como você chegou aqui?" Eu: " Peguei carona na arca de noé". (Hahaha) Brincadeira . Não respondi assim. Esta resposta criativa foi um amigo que disse ao me ouvir contar essa história. Eu respondi que tinha ido de ônibus.
Gente, vocês deviam ver a cara de espanto dela ao me ver no shopping! 

Gosto de contar essa história para ilustrar como alguns catequizandos tem uma ideia um tanto idealizada dos catequistas, acham que somos santos e que não saímos de casa ,só para ir a Igreja. Ou será que alguns pensam que moramos na Igreja?Mais do que isso!  Muitos adultos querem nos recriminar quando temos algum comportamento que eles acham que não devíamos ter por sermos catequistas, por sermos cristãos. Quem nunca ouviu isso: "Você vive na Igreja e faz isso!" Na maioria das vezes, são só julgamentos mesmo. E quando erramos, eu penso assim:  não é porque somos cristãos, que não temos o direito de sermos imperfeitos.  Catequista também é pecador, um pecador apaixonado por Jesus, um colaborador de Jesus cheio de defeitos.

As pessoas que nos conhecem como o(a) catequista podem estranhar quando nos veem numa festa, no clube, passeando  por aí. "Aquele (a) ali não é a(o) Catequista do fulano?
Então vamos a primeira constatação deste texto:

1. Catequista também é gente.
Ok? Ok. Isso quer dizer que o catequista tem necessidades  comuns a todos:  de viver, de ter amigos, de namorar (muitos até já são casados), de lazer.

Não há nenhum problema em catequista divertir-se! Lembro que um formador da escola catequética nos aconselhou a ter uma vida normal , nos divertirmos, fazermos o que gostamos nas horas vagas etc. No grupo jovem ouvi uma frase que me marcou muito:" Vai até ao inferno mas vai como um jovem de Deus." Isso me diz muito sobre "não deixar de ser quem se é", não perder nossa identidade cristã onde quer que estejamos.

Como cristãos, precisamos aprender a nos divertir sem escandalizar ninguém, sem nos afastarmos dos planos de Deus para nossa vida. Cada um sabe o que pode ou não fazer. "Tudo me é permitido mas nem tudo me convém". Cada  Catequista é livre para viver sua vida, fazer suas escolhas, desempenhar os tantos outros papéis que a vida oferece, sem afastar do Senhor. 

Catequistas,  como ser luz do mundo se nos escondemos do mundo? Dizem que palavras convencem, testemunho arrasta. Então,  onde for,  testemunhe Jesus na sua vida, com bons exemplos, atitudes e palavras também.

O catequista deve cuidar do seu bem estar,   ficar feliz e em paz consigo mesmo, só assim será capaz de prosseguir com alegria  sua missão.

Agora, me dá licença que vou para Praia.
2. Catequista também viaja.
Um abraço.
Cris
Rio de Janeiro

Comentários

Postagens mais visitadas