Categorias

Abraão (4) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Ambientação (2) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (10) Artesanato criativo (5) As maravilhas de Deus (1) Atividades (8) Avaliação na Catequese (2) Batismo (3) Bíblia (8) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (2) Campanha da Fraternidade 2017 (2) Cantinho da Oração (1) Catavento (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) catequistas (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (5) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (60) Dinâmicas de Oração (6) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (4) Eucaristia (10) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinha da Páscoa (6) Lembrancinha para as mães (4) Lembrancinhas (5) Mandamentos (1) Maquete (1) Matrimônio (1) Meio Ambiente (1) Metodologia catequética (24) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (10) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (13) Parábola do semeador (2) Páscoa (6) Pecado (2) Pentecostes (1) Planejamento (3) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (4) Rei Davi (1) Reunião de pais (1) Revisão (5) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (3) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (1)

29 agosto, 2016

Formação para o catequista: Quem é Jesus?







Retirado do livro  A fé cristã para catequistas- Pe. Leomar Brustolin (Paulinas)

Jesus passou fazendo o bem

A missão de Jesus é anunciar a Boa-Nova do Reino de Deus. Toda palavra e ação de Cristo revelam o projeto salvador do Pai para humanidade. Com Jesus, o Reino já chegou e está no meio de nós. Os milagres, sinais, curas e exorcismos que ele pratica revelam seu poder sobre tudo: a natureza, as doenças, os demônios. Por isso, Jesus pode agir na liberdade de quem quer libertar os outros de toda escravidão. Ele é o Messias de Deus, fez bem todas as coisas e passou pelo mundo fazendo o bem.


Luz da Bíblia

Após trinta anos, vivendo em Nazaré, Jesus deu início à sua vida pública (cf. 3,23). No rio Jordão foi batizado por João Batista, quando o Espirito Santo veio sobre ele na forma de uma pomba e ouviu-se a voz do céu: "Este é o meu filho bem-amado" (Mt 3,17). Levado pelo Espíro ao deserto, Jesus vence as tentações de Satanás e confirma sua obediência e amor ao projeto do Pai (cf Lc 4, 1-13). Começou a andar pelos povoados e aldeias, anunciando o Evangelho: " Esgotou-se o prazo. O Reino de Deus está aqui. Mudem de vida. Acreditem nessa Boa-Nova" (Mc 1,15).

Os apóstolos o acompanharam (cf. Lc8,1). Jesus pregava o Reino de Deus por palavras e obras, realizando numerosos milagres, prodígios e sinais (cf. 2,22). Sua fama se espalhou por todo o lugar (cf. Mc 1,28). A multidão o seguia, e ele curava toda sorte de doenças e enfermidades (cf. Mc 1,32-34). Com Jesus, "os cegos recuperam a vista, os coxos andam, os leprosos são  purificados e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres é anunciada a Boa-Nova" (Mt 11,5).

Ele veio "para que todos tenham vida, e vida em abundância" (Jo 10,10). No monte tabor, Jesus se transfigura na frente de Pedro, Tiago e João (cf. 9,2-10). Ao chegar a hora de seus sofrimentos, Jesus tomou o caminho de Jerusalém (cf. Lc 9,51). Lá o Cristo realiza a Páscoa de sua paixão, morte e ressurreição.

Na fé da Igreja
Os mistérios da vida de Jesus

Toda a vida de Jesus revela o mistério de Deus no meio de nós. Desde a gruta de Belém até o último grito na cruz, do túmulo vazio na madrugada da ressurreição até a subida ao céu, tudo na vida de Jesus é revelação do mistério de Deus. Cada gesto e milagre, cada palavra e silêncio, seus sofrimentos, sua maneira de ser, tudo se revela na divindade e a salvação que ele traz. No mistério do Natal, contemplamos a Virgem que traz ao mundo Deus do Universo, nascido, como criança, num estábulo. Durante a infância na vida oculta em Nazaré, ele conviveu com sua família, aprendeu o ofício de carpinteiro e frequentou a sinagoga, como judeu fiel.Tornou-se aluno da história de seu povo, aprendendo com seus sofrimentos, pobreza, miséria, violência e exploração.

Nos mistérios da vida pública de Jesus, contemplamos seu batismo por João, quando é apontado como "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (Jo 1,29). No deserto, ele vence as tentações, porque não veio para ser um Messias milagreiro, guerrilheiro e poderoso. Cumprindo a vontade do pai, que o enviou. Cristo inaugura o Reino dos Céus na terra. No Monte Tabor, em sua transfiguração, Jesus mostrou, por um instante, sua glória divina. Entrando em Jerusalém, ele é aclamado como Rei-Messias. O Cristo vai realizar sua páscoa, o mistério de sua paixão, morte e ressurreição, porque tinha chegado sua hora: a hora de consumar a missão que recebeu do pai. Foi Fiel e obediente até o fim e por isso o Pai o glorificou.

A Boa-Nova
O grande anúncio de Jesus é o Reino de Deus. É o centro de toda sua pregação e vida. Todos são convidados a participar desse Reino, mas para entrar nele é preciso conversão: acolher a Palavra de Deus e viver conforme sua verdade. Essa Boa-Nova Jesus anuncia especialmente aos pobres. Eles são bem-aventurados, "deles é o Reino dos céus" (Mt 5,3). Na mesa de Jesus, havia lugar para pecadores, impuros, mulheres marginalizadas e gente mal falada. Devolvia  a dignidade que tinha sido tirada deles. Procurou sempre os mais excluídos, como o Bom Pastor que resgata a ovelha perdida. Ensinava em qualquer lugar, na montanha ou à beira-mar. Falava simples, contando parábolas. Desafiava os apóstolos: "Dai-lhes vós mesmos de comer" (Mt 14,16). Ensinou que o poder deve ser o serviço ao próximo (cf Mt 20,24-28), e deixou o exemplo, lavando os pés de seus amigos, para que fizessem o mesmo. Chamava Deus de Pai e disse que não se pode amá-lo sem amar os irmãos.

Todos os gestos de Jesus mostram o rosto amoroso desse Pai misericordioso que ache, perdoa e ama sempre. Depois de dar a vida por amor (cf. Jo 15,13) e ressuscitar, deu aos apóstolos a missão de pregar a todos os povos a mensagem do Evangelho, para que o gênero humano se torne a família de Deus na qual o amor seja a lei maior.

Os milagres e os sinais
A preparação de Jesus é acompanhada de obras. São inúmeros milagres, prodígios, exorcismos e sinais que provam ser ele o Messias. Os milagres são sinais, em primeiro lugar, do Reino de Deus que chegou, que vem com Jesus. É um testemunho direto da novidade de Deus que entra na história. É o próprio Deus agindo na vida das pessoas com poder, manifestando sua  justiça misericordiosa, sua libertação e salvação. Os milagres  não são mágica que Jesus  faz para impressionar, mas são sinais de que ele é o Cristo, o Filho de Deus que quer salvar de todos os males e de todo o pecado. Contra males da natureza, acalma os ventos e tempestades; contra os mais espíritos, expulsa-os; contra a ignorância e o erro, ensina e corrige o povo; contra o abandono e a solidão, acolhe e ouve a todos; contra o medo, devolve a esperança. Onde a vida não está sendo bendita e abundante lá Jesus  age. O seguidor de Jesus aprende com ele a ser fermento na massa, transformando a vida e os relacionamentos com Deus, entre os irmãos, na sociedade, e com a natureza.



Nenhum comentário:

Postar um comentário