Catequista acomodado


É sério.  Tem muitos catequistas desmotivados, principalmente aqueles mais antigos. Depois de 10 anos de catequese, os problemas e dificuldades continuam os mesmos. Se você está se sentindo assim, desmotivado, e se acomodou  na etapa que está agora e falta só falar: "Desta etapa eu não saio. Desta etapa ninguém me tira", vamos conversar? De catequista  para catequista. Ok?

Te convido a se desinstalar.





Experimente trocar de etapa. Se sempre foi da Crisma, tente a Primeira Eucaristia; se está acomodado na Primeira Eucaristia, tente a Catequese com Adultos. Catequista não pode ser da etapa. Deve estar disponível onde a catequese chamar. Quantos catequistas de "etapas" você conhece e que estão apegados e não mudam de jeito nenhum? Mudei da Primeira Eucaristia para a catequese com adultos. O primeiro semestre foi de adaptação e eu me senti aprendendo de novo. É um desafio. Então, não tenha medo de mudar.  A mudança de etapa nos faz sentir  catequistas iniciantes, é como chegar na catequese a primeira vez. A faixa etária dos catequizados  muda e precisamos adequar a linguagem, a metodologia, as dinâmicas. É uma chance para nos expandir e superar os limites que nós mesmos nos impomos. É preciso aprender a ser catequista de qualquer etapa. A mudança de etapa nos desinstala do comodismo e daquele sentimento de que já sabemos tudo. Na verdade  somos experientes e especialistas numa determinada etapa da catequese.  E só.

Mude, catequista. Se a mudança de etapa não é possível, analise no que  sua catequese precisa inovar, mudar, renovar. Se você não gosta ou não sabe desenvolver dinâmicas, peça ajuda de outros catequistas mais dinâmicos e, aos poucos, quebre essa barreira que você mesmo colocou de "não sei fazer dinâmicas". ´Muitas vezes é só resistência sua. Somos capazes de aprender qualquer coisa na vida. Tudo bem que em alguns atividades seremos melhores que em outras. Mas não podemos nos fechar a novos aprendizados e desafios. Seja corajoso. 

Percebo alguns catequistas antigos se acomodarem. Não buscam mais formações. Acham que estão prontos. Mas a catequese nos pede uma formação contínua. Catequista precisa de reciclagem. Que tal planejar grupos de estudo sobre os documentos da Igreja e  e das encíclicas?  Fui numa formação de coordenadores e a formadora falou que Jesus era uma grande perguntador mas péssimo em dar respostas. Quando questionado, ele respondia com outra pergunta.  Catequista  não pode deixar de perguntar, de questionar, de criticar. Catequista que deixa de perguntar, deixa de crescer, de aprender. E, por favor, tente não apresentar respostas prontas para seus catequizandos. Não explique o evangelho todo, antes de dar a chance deles mesmos descobrirem a boa-nova de Jesus. 

Sabe de outra coisa? Vá além. Procure movimentar a catequese. Como? Organize um jornal da catequese na sua comunidade. Chame os catequistas para ajudar a montar, diagramar, imprimir, divulgar. Envolva os catequizandos também neste trabalho. Será trabalhoso, mas divertido. E não esqueça: mantenha a alegria de ser catequista depois de 10, 20 anos no ministério da catequese.  E ajude os catequistas inciantes a caminhar. Empreste livros, empreste os ouvidos, Dê sugestões, esteja disponível para ajudar. Acolha a todos que chegar. Muitos catequistas reclamam de acolhida. Com o seu exemplo, os outros se sentirão chamados a acolher também.

E o mais importante, não se oponha às mudanças que aparecerem. Esteja disposto, com sua experiencia, a ajudar nas mudanças que a Igreja, o padre ou a coordenação propor. Não é que sempre foi feito assim que continuará sendo feito assim por resto da vida. É sério. Catequista precisa acompanhar as mudanças que a própria Igreja e as Escolas arquidiocesanas de catequese já nos indicam. A catequese está em mudança. Fique atento para mudar junto, para caminhar junto, para caminhar...

Obrigada.
Deus ama você.
Cris Menezes





Comentários

Postagens mais visitadas