Categorias

Abraão (1) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Ambientação (1) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (9) Artesanato criativo (3) As maravilhas de Deus (1) Atividades (3) Avaliação na Catequese (2) Batismo (3) Bíblia (7) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (1) Campanha da Fraternidade 2017 (1) Cantinho da Oração (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) catequistas (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (2) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (59) Dinâmicas de Oração (8) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (3) Eucaristia (9) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinhas (4) Mandamentos (1) Matrimônio (1) Metodologia catequética (25) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (10) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (16) Parábola do semeador (2) Páscoa (1) Pecado (2) Planejamento (3) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (3) Rei Davi (1) Reunião de pais (1) Revisão (5) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (2) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (3)

05 outubro, 2016

Dinâmica para Primeira Eucaristia: Lc 11, 1-4- Com Jesus podemos chamar Deus de Pai Nosso

 Para Etapa 1- Primeira Eucaristia

Passagem Bíblica- Lc 11, 1-4- 


Um dia, Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”. 2Jesus respondeu: “Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. 3Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos, 4e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’”.


Para iniciar a explicação do Pai-Nosso, podemos usar a dinâmica "Descobrindo o céu", proposta no livro "A caminho da Eucaristia" (Maria de Lurdes Mezzalira Pincinato, editora vozes, pág. 38 a 43). Queria só explicar que este livro propõe uma catequese mais celebrativa e litúrgica, por isso vocês podem estranhar um pouco. Coloquei bem resumido  os passos do encontro,  pois não seguimos esta metodologia, mas podemos aproveitar algumas ideias. O roteiro do livro é assim: Início/Evangelho/Catequese/Gesto Concreto/Oração/Cantos/Atividades/Dinâmicas .

***




Iniciando a explicação do Pai-nosso



Símbolo Litúrgico: o céu



Perguntar aos catequizandos o que representa O CÉU.
1) Escrever no quadro de giz.
2) Analisar o que responderam
3)Mostrar as figuras de céu e fazer comparações.
4) Concluir que o céu representa o quanto Deus é grande e poderoso, mas principalmente representa que Deus é Pai, e que o Amor de Deus não tem limites, como o céu. Sempre Deus estará à nossa espera, assim como é certo que o céu está no alto encoberto por densas escuras nuvens. Olhar para o céu, "olhar para o alto", na liturgia, significa  busca de Deus: desejar Deus, esperar em Deus, querer entrar em diálogo com Deus.





Gesto litúrgico: chamar pelo nome



Deus é nosso pai e nos chama pelo nome. No Batismo recebemos um nome. Em que locais colocamos o nosso nome? Nos documentos, objetos pessoais...no túmulo. Em que momentos uma pessoa pode ser e é chamada? (vida civil e religiosa): no batismo, nas listas de presenças escolares, no médico...

Vivenciando a liturgia: o coração! 


O coração bate sem parar, não percebemos as suas batidas e só cessa de bater quando morre. O coração é usado como símbolo para a origem dos bons sentimentos, do amor. Na Eucaristia, após o ofertório, o padre que preside a celebração nos diz "Coração ao alto", e respondemos: "O nosso coração está em Deus". Realmente nosso coração estará bem pertinho de Deus, que é nosso Pai. Queremos com o coração cantar o SANTO e então dizemos "hosana nas alturas", porque Deus, que é nosso Pai, está em toda parte e olha para nós com muito amor e carinho. Quando rezamos o  Pai-nosso: Jesus eu amo você. Deus, você é meu Pai, eu amo você. E ouvimos a resposta: eu perdoo as suas culpas como você perdoa o seu próximo, reparte com ele o pão que eu lhe dou, cada dia.



Gesto concreto


(...) Agradecer ao nosso Pai os presentes que Ele nos dá, por exemplo o nosso nome.
*Motivar os catequizandos a procurar saber se o nome que receberm está associado a nome de santo(a).
*Respeitar o nome dos amigos...


Oração


Agradecimento: Ensinar a importância de agradecer sempre a Deus pelos dons que ele nos tem dado. Deus não precisa de nossa oração. Somos nós que temos necessidade de buscar a Deus e agradecer.


Subsídios para catequese


Temos um Pai do céu


Lembrando que temos um Pai no céu que nos ama muito e que está presente em nossa vida, vamos hoje, com Jesus, celebrar a santidade de Deus. (...) Deus que é Pai, se revela "aos pequeninos", ensina Jesus. Ele sabe que somente os simples e pequenos poderão entender a sua palavra porque têm o coração livre. Jesus revela um mistério de amor tão profundo e intenso, que é inacreditável, que é impossível deixar de repeti-lo sempre como São Paulo aos Romanos 11,33-36. Jesus é o Filho Unigênito (único de Deus mesmo), o Bem-amado, aquele que, antes de Abraão, antes da criação, já vivia no "seio do Pai" (Jo 1,18).


O que quer dizer "Pai nosso que estais no céu"


Quando chamados Deus de Pai, dizemos que Deus está no céu: Essa expressão quer dizer que Deus etá no céu, na terra e em toda parte. Jesus diz que "O reino dos céus está no meio de nós" (Lc 17,21). Deus está presente em todas as coisas criadas. Deus está presente principalmente no meio de todos os homens.

Na Bíblia, o termo "Céus" se refere muitas vezes à divindade de Deus, do quanto Deus é grande, "os céus e a terra estão cheios de sua glória", canta o salmista (SL 19). Não sabemos onde o céu está, o mais importante é saber que Deus está conosco. Ele quer estar no meio de nós, e somos chamados por Ele a viver uma "vida plena e abundante" (Jo 10,10).
Nós somos criaturas de Deus. Somente com Jesus e por Jesus ousamos chamar Deus de Pai, Pai querido. Jesus mesmo nos ensinou, foi Jesus quem ensinou a oração do Pai-nosso. Realmente é muito grande o amor de Deus por nós.


Como podemos santificar o nome de Deus


Quando pedimos: "santificado seja o vosso nome", estamos pedindo que Deus  seja respeitado, seja proclamado, seja reconhecido pelo que Ele é: o próprio Amor. (...) Estamos pedindo que seja revelado o seu amor por todos os seres humanos, através de nosso gestos de compaixão, de misericórdia, de solidariedade. Pedimos que Deus nos faça conhecê-lo e amá-lo.

Deus nos chama pelo nome. O nome é a própria pessoa. É a pessoa como é conhecida, reconhecida, amada, chamada para dar auxílio, convocada. A pessoa é reconhecida através de seus documentos pessoais. O cartório anota e registra o nome e os bens da pessoa. No batismo recebemos um nome. O meu nome é..., Deus sempre chama pelo nome. Ele dá nome às pessoas: Adão, Eva. E Adão dá nome aos animais (Gn1,2). Para Maria, disse o anjo "darás o nome de Jesus"! (Lc 1,31). Para Zacarias, o anjo diz "darás o nome de João ao te filho"(Lc 1,13). Deus muda o nome de Abrão para Abraão, de Sarai para Sara (Gn 17,5.15), de Jacó para Israel (Gn 32,28;35,10). Jesus disse a Pedro: "não te chamarás mais Cefas, mas tu és pedro (Mt 16,18). Os papas mudam de nome. Por exemplo, Karol Wojtyla passou a se chamar João Paulo II.(...)
Na Bíblia, Deus se revela aos poucos. E quando lhe perguntaram sobre o seu nome, Ele respondeu: "Eu sou o que sou"! "Eu sou aquele que é" (Ex 3,13-15; Is 42,8).


Jesus nos ensina a santificar o nome de Deus


Jesus nos ensina a pedir "Santificado seja o vosso nome". Deus já é santo. O que significa essa "santificação do nome de Deus"? Quando rezamos, estamos pedindo que Deus se mostre para nós. Pedimos que nós, experimentando a sua misericórdia e poder, possamos anunciar a toda criatura o seu amor por nós. Pedimos que a igreja concretize a sua vocação missionária de anunciar a toda criatura a salvação que Deus manifestou através de Jesus Cristo, seu filho. Santificar o nome de Deus é promover a justiça e o direito em nossa comunidade para que todos possam viver uma vida digna de Filhos de Deus com moradia, alimento, vestuário, educação...

(...)

Precisamos nos libertar a nós mesmos das máscaras que colocamos em Deus: um "Deus vingador" que tudo castiga, um "Deus polícia" que vê tudo para nos julgar e condenar; um "Deus bonzinho" que resolve todos os problemas, dificuldades; Um Deus "comerciante" que nos cura se fizermos novenas e promessas, etc.

Deus se torna visível na Igreja. Uma Igreja que tenha pessoas que vivam a paz, a justiça, a partiha, o amor, o perdão, a misericórdia, para que o Nome de Deus seja santificado, deve dar o testemunho de vida e oração, isto é, na medida em que formos luz, sal e fermento para os que convivem conosco, o Nome de Deus será glorificado e santificado no mundo criado.

Aprofundamento: Catecismo da Igreja Católica: 2777-2815.


***

Obrigada.
Deus cuida de ti.
Cris Menezes



Nenhum comentário: