O passo "agir" do método-ver-julgar-agir

O papa Francisco nos pede uma Igreja em saída. Então levei a sério isso e resolvi colocar a catequese em êxodo.


Sou catequista há mais de 13 anos. Fico pensando o quanto já falei de amor neste tempo todo! 13 anos é uma vida, uma vida falando do amor de Deus. Mas vou confessar que a maior catequese que fiz foi fora da sala. Organizei uma visita, com meus catequizandos adultos, a uma família carente assistida pelos vicentinos. Levamos alimentos e a palavra de Deus.  Este foi nosso primeiro gesto concreto.

Depois de algumas semanas, ficamos tristes com a notícia que a mãe daquela família, que estava grávida, perdeu o bebê. Recebemos um recado deles nos chamando para visitá-los.  Então, começamos a nos organizar para levar alimentos. O que me surpreendeu muito foi a atitude dos catequizandos. Eu marquei a visita para o dia seguinte. Teríamos um dia para ajuntamos os alimentos. Uma catequizanda alertou que teríamos que ir logo,  porque quem está com fome não pode esperar. Depois me ligaram à noite perguntando se podiam ir naquela hora porque já tinham montado uma cesta básica. E foram. Fico imaginando: numa noite fria, sem esperança, alguém aparece com alimentos. Este gesto dos meus catequizandos me fez refletir muito. Recebi uma catequese deles. Eles arrumaram os alimentos e não podiam esperar, era urgente pois não sabiam se aquela família tinha o que comer. Esta preocupação com o outro é a pratica do amor que tanto falamos na catequese. 

Vamos pensar: quanto partilhamos com os outros? Quanto desperdiçamos? O quanto indiferentes estamos em relação às situações dos nossos irmãos em Cristo? Vamos quebrar esta indiferença que carregamos e praticar mais a caridade e o amor ao próximo? Convido você a repensar o "agir" da sua catequese e propor para seus catequizandos gestos concretos de amor. Quando falar sobre o sacramento da unção dos enfermos, que tal pedir para cada catequizando trazer uma fruta no próximo encontro e levarem para alguém doente na comunidade?

Para finalizar, olha o que diz a Ir. Mary, no livro do catequista: 

"Agir= transformar a realidade. A finalidade deste parte é fazer com que catequista e catequizando coloquem em prática o que refletiram no encontro. A prática está ligada à palavra de Deus que sempre questiona e tem como objetivo a mudança de vida das pessoas e da realidade. As atividades não podem se restringir simplesmente a atividades lúdicas ou pedagógicas (que também são interessantes), mas deverão ser evangélicos transformadores, em vistas da construção de uma sociedade justa e solidária. Poderão ser individuais ou do grupo e envolver as famílias e a comunidade. (...) A ação catequética é o grande momento de formação, como efetiva transformação da realidade. O catequista aprende com os catequistas mais experientes do grupo: a descobrir a ligação da doutrina com a visão cristã; a preparar encontros de catequese com criatividade e ação inspiradas no Evangelho; a entender os catequizandos e saber conviver com eles." 

Deus cuida de nós.
Cris Menezes
Catequista-Brasília-DF

Comentários

Postagens mais visitadas