Categorias

Abraão (4) Acolhida (2) Advento (1) Aliança-Pacto de amizade (1) Ambientação (2) Amizade (1) Ano Liturgico (1) Ano Litúrgico (1) Apóstolos (3) Arte na catequese (10) Artesanato criativo (5) As maravilhas de Deus (1) Atividades (8) Avaliação na Catequese (2) Batismo (3) Bíblia (8) Brincadeiras (1) Caça ao Tesouro (2) Campanha da Fraternidade 2017 (2) Cantinho da Oração (1) Catavento (1) Catequese com adultos (8) Catequese com crianças (28) Catequese com os pais (2) Catequese de Crisma (6) Catequese de Perseverança (1) Catequese em ação (1) catequista não é tio (1) catequistas (1) Como preparar encontro de catequese (2) Confissão (1) Coordenação (1) Coroa do Advento (1) Correio de Maria (6) Crisma (1) Dia das Mães (5) Dia do Catequista (1) Dinâmicas (60) Dinâmicas de Oração (6) Dinâmicas de Revisão (1) Espírito Santo (4) Eucaristia (10) Evangelho (5) Família (2) Felicidade (2) Formações (32) Gincana (1) Histórias na Catequese (2) Igreja (1) Jesus chama seus colaboradores (1) Jesus convida os apóstolos (1) Jesus inicia sua missão (1) João Batista (2) Juízes (1) Leitura Orante (6) Lembrancinha da Páscoa (6) Lembrancinha para as mães (4) Lembrancinhas (5) Mandamentos (2) Maquete (1) Matrimônio (1) Meio Ambiente (1) Metodologia catequética (24) Moisés (1) Nascimento de Jesus (2) Natal (2) Nossa Senhora (4) O nascimento de Jesus (1) O Perfil do Catequista (10) O programa de Jesus (1) O tempo dos Reis (2) Oração (2) Pai- Nosso (2) Papo de catequista (13) Parábola do semeador (2) Páscoa (6) Pecado (2) Pentecostes (1) Planejamento (3) Planejamento de Encontros (24) Profetas (1) Quem é Jesus? (4) Quem eu sou? (1) Rádio Catequese (4) Rei Davi (1) Reunião de pais (1) Revisão (5) Roteiro de visitas às famílias dos catequizandos (1) Sacramento da Crisma (1) Sacramento da Reconciliação (1) Sacramentos (6) Sagrada Família (2) Santíssima Trindade (1) Semana Santa (3) Somos filhos de Deus (2) Teatro (2) Textos de Apoio (1) Unção dos Enfermos (1) Ver-julgar-agir (1) Vlog (1)

29 agosto, 2016

Formação para o catequista: Quem é Jesus?







Retirado do livro  A fé cristã para catequistas- Pe. Leomar Brustolin (Paulinas)

Jesus passou fazendo o bem

A missão de Jesus é anunciar a Boa-Nova do Reino de Deus. Toda palavra e ação de Cristo revelam o projeto salvador do Pai para humanidade. Com Jesus, o Reino já chegou e está no meio de nós. Os milagres, sinais, curas e exorcismos que ele pratica revelam seu poder sobre tudo: a natureza, as doenças, os demônios. Por isso, Jesus pode agir na liberdade de quem quer libertar os outros de toda escravidão. Ele é o Messias de Deus, fez bem todas as coisas e passou pelo mundo fazendo o bem.


Luz da Bíblia

Após trinta anos, vivendo em Nazaré, Jesus deu início à sua vida pública (cf. 3,23). No rio Jordão foi batizado por João Batista, quando o Espirito Santo veio sobre ele na forma de uma pomba e ouviu-se a voz do céu: "Este é o meu filho bem-amado" (Mt 3,17). Levado pelo Espíro ao deserto, Jesus vence as tentações de Satanás e confirma sua obediência e amor ao projeto do Pai (cf Lc 4, 1-13). Começou a andar pelos povoados e aldeias, anunciando o Evangelho: " Esgotou-se o prazo. O Reino de Deus está aqui. Mudem de vida. Acreditem nessa Boa-Nova" (Mc 1,15).

Os apóstolos o acompanharam (cf. Lc8,1). Jesus pregava o Reino de Deus por palavras e obras, realizando numerosos milagres, prodígios e sinais (cf. 2,22). Sua fama se espalhou por todo o lugar (cf. Mc 1,28). A multidão o seguia, e ele curava toda sorte de doenças e enfermidades (cf. Mc 1,32-34). Com Jesus, "os cegos recuperam a vista, os coxos andam, os leprosos são  purificados e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres é anunciada a Boa-Nova" (Mt 11,5).

Ele veio "para que todos tenham vida, e vida em abundância" (Jo 10,10). No monte tabor, Jesus se transfigura na frente de Pedro, Tiago e João (cf. 9,2-10). Ao chegar a hora de seus sofrimentos, Jesus tomou o caminho de Jerusalém (cf. Lc 9,51). Lá o Cristo realiza a Páscoa de sua paixão, morte e ressurreição.

Na fé da Igreja
Os mistérios da vida de Jesus

Toda a vida de Jesus revela o mistério de Deus no meio de nós. Desde a gruta de Belém até o último grito na cruz, do túmulo vazio na madrugada da ressurreição até a subida ao céu, tudo na vida de Jesus é revelação do mistério de Deus. Cada gesto e milagre, cada palavra e silêncio, seus sofrimentos, sua maneira de ser, tudo se revela na divindade e a salvação que ele traz. No mistério do Natal, contemplamos a Virgem que traz ao mundo Deus do Universo, nascido, como criança, num estábulo. Durante a infância na vida oculta em Nazaré, ele conviveu com sua família, aprendeu o ofício de carpinteiro e frequentou a sinagoga, como judeu fiel.Tornou-se aluno da história de seu povo, aprendendo com seus sofrimentos, pobreza, miséria, violência e exploração.

Nos mistérios da vida pública de Jesus, contemplamos seu batismo por João, quando é apontado como "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (Jo 1,29). No deserto, ele vence as tentações, porque não veio para ser um Messias milagreiro, guerrilheiro e poderoso. Cumprindo a vontade do pai, que o enviou. Cristo inaugura o Reino dos Céus na terra. No Monte Tabor, em sua transfiguração, Jesus mostrou, por um instante, sua glória divina. Entrando em Jerusalém, ele é aclamado como Rei-Messias. O Cristo vai realizar sua páscoa, o mistério de sua paixão, morte e ressurreição, porque tinha chegado sua hora: a hora de consumar a missão que recebeu do pai. Foi Fiel e obediente até o fim e por isso o Pai o glorificou.

A Boa-Nova
O grande anúncio de Jesus é o Reino de Deus. É o centro de toda sua pregação e vida. Todos são convidados a participar desse Reino, mas para entrar nele é preciso conversão: acolher a Palavra de Deus e viver conforme sua verdade. Essa Boa-Nova Jesus anuncia especialmente aos pobres. Eles são bem-aventurados, "deles é o Reino dos céus" (Mt 5,3). Na mesa de Jesus, havia lugar para pecadores, impuros, mulheres marginalizadas e gente mal falada. Devolvia  a dignidade que tinha sido tirada deles. Procurou sempre os mais excluídos, como o Bom Pastor que resgata a ovelha perdida. Ensinava em qualquer lugar, na montanha ou à beira-mar. Falava simples, contando parábolas. Desafiava os apóstolos: "Dai-lhes vós mesmos de comer" (Mt 14,16). Ensinou que o poder deve ser o serviço ao próximo (cf Mt 20,24-28), e deixou o exemplo, lavando os pés de seus amigos, para que fizessem o mesmo. Chamava Deus de Pai e disse que não se pode amá-lo sem amar os irmãos.

Todos os gestos de Jesus mostram o rosto amoroso desse Pai misericordioso que ache, perdoa e ama sempre. Depois de dar a vida por amor (cf. Jo 15,13) e ressuscitar, deu aos apóstolos a missão de pregar a todos os povos a mensagem do Evangelho, para que o gênero humano se torne a família de Deus na qual o amor seja a lei maior.

Os milagres e os sinais
A preparação de Jesus é acompanhada de obras. São inúmeros milagres, prodígios, exorcismos e sinais que provam ser ele o Messias. Os milagres são sinais, em primeiro lugar, do Reino de Deus que chegou, que vem com Jesus. É um testemunho direto da novidade de Deus que entra na história. É o próprio Deus agindo na vida das pessoas com poder, manifestando sua  justiça misericordiosa, sua libertação e salvação. Os milagres  não são mágica que Jesus  faz para impressionar, mas são sinais de que ele é o Cristo, o Filho de Deus que quer salvar de todos os males e de todo o pecado. Contra males da natureza, acalma os ventos e tempestades; contra os mais espíritos, expulsa-os; contra a ignorância e o erro, ensina e corrige o povo; contra o abandono e a solidão, acolhe e ouve a todos; contra o medo, devolve a esperança. Onde a vida não está sendo bendita e abundante lá Jesus  age. O seguidor de Jesus aprende com ele a ser fermento na massa, transformando a vida e os relacionamentos com Deus, entre os irmãos, na sociedade, e com a natureza.



25 agosto, 2016

Vlog: Feliz Dia do Catequista



Vamos conversar um pouco sobre o dia do catequista, e o que é ser catequista?




https://www.youtube.com/watch?v=igv6Rfy6TxA




Obrigada. Deus ama você.
Cris Menezes

Planejamento de Encontro- Crisma com jovens adultos: Bíblia

Encontro n°3: Introdução à Bíblia*



Objetivo: Introduzir os adultos no conhecimento simples da Bíblia e espertar o amor pela escuta da Palavra de Deus.

Ambiente: Preparar o caminho conforme foi feito no primeiro encontro e escrever sobre eles as frases: Aonde vamos chegar? Quem vai nos conduzir neste caminho?

Colocar, no meio da sala, uma caixa-surpresa, com várias caixas menores, uma dentro da outra, e na última incluir a Bíblia.

Acolhida
Acolher cada participante pelo nome, com um abraço ou aperto de mão.

Dinâmica
Formar uma roda
Distribuir os crachás de modo que todos recebem o de outra pessoa.
Abrir um espaço à sua direita e dizer: "minha direita está vaga. Chamo (ler o nome do crachá) para ficar a meu lado, porque é uma pessoa...(falar uma qualidade dela e colocar o crachá em sua roupa.).
Agora, essa pessoa chama aquela cujo nome está no crachá em sua mão.
Continua a dinâmica, até que todos tenham seus próprios crachás.
No fim, canta-se uma música de boas-vindas.

Olhando a vida
Deixar que cada pessoa conte o que viveu durante a semana.
Acabada a partilha, passar a caixa-surpresa de mão em mão e pedir que cada um vá abrindo uma das caixas, enquanto tentam adivinhar o que há dentro da última. Dar pistas como: "É muito bonito. Quem usa, sente-se feliz..."
Quando alguém adivinhar, pedir que abra o embrulho. Enquanto isso, cantar: Tua palavra é lâmpada para meus pés, Senhor..., ou outro.
Colocar a Bíblia em destaque, com flores e vela, e anunciar o tema do encontro do dia: introdução à Bíblia.

Abrindo a Bíblia
Canto: Toda a Bíblia é comunicação, ou outro.
(Introduzir o tema Bíblia, explicando o significado, a quantidade de livros, a divisão da Bíblia)
Fazer o exercício da procura de um texto, seguindo capítulo e versículo: pode ser vocação de Moisés (Ex 3, 1-15).

Usar o texto e seguir os passos da leitura orante.
1. Proclamar o texto.
2. Trazer o texto para hoje: ver cada um dos personagens e encontrar a semelhança com nossa vida atual.
3. Fazer um momento de silêncio e depois conversar:"Que Deus me fala por meio deste texto?
4. Após outro momento de silêncio, conversar: "Que vou dizer a Deus neste momento?"

Pode-se cantar alguns refrões entre um passo e outro, para que a leitura orante se torne verdadeira oração.

Rezando a vida e a bíblia
Rezar o Ofício divino das comunidades conforme o tempo litúrgico e  a hora (manhã ou tarde).
1.Silêncio. Oração pessoal. Refrão.
2. Recordação da vida.
Animador(a): Podemos recordar momentos difíceis em nossa vida, nos quais a Palavra de Deus nos iluminou.
Cantemos o Salmo 119 (parte A) do ofício divino das comunidades, (Refrão 1, p. 154).

A Palavra de Deus que ouvimos e refletimos na leitura orante nos têm tornado mais próximos de Deus?

Vamos expressar os nossos pensamentos e sentimentos em forma de louvor, gratidão e pedidos.
3. Pai-Nosso.
4. Oração-Bênção.
(Terminar com cântico a Maria).

Levando a Bíblia para a vida
Diante do que Deus nos pede, que vou fazer nesta semana?

Lendo a Bíblia em casa
At 9,1-1- A vocação do apóstolo Paulo.

*Encontro retirado do livro: Viver em Cristo- Caminho da fé com adultos (CNBB, Paulinas)

Obrigada. Deus ama você!
Cris Menezes

Catequizando Feliz Blog
http://catequesedeeucaristia.blogspot.com.br

19 agosto, 2016

Planejamento de encontros da catequese



Oi! Já viram os vídeos que gravei sobre planejamento seguindo o método ver-julgar-agir! Se inscrevam no canal!
Fiquem com Deus!


17 agosto, 2016

Carta aos catequistas- Dia do catequista: 28 de agosto de 2016





Caríssima irmã, caríssimo irmão Catequista.
Os caminhos da Igreja no Brasil assinalam o mês de agosto com uma nobre particularidade. A temática vocacional recebe forte acentuação: dia dos pais, dia do padre, dia do religioso, dia do Catequista. Este previsto para o próximo dia 28.08.
Em nome da CNBB quero servir-me da data para uma palavra permeada de sincero afeto e imensa gratidão. Embora não seja possível ser suficientemente grato a tanta dedicação, com muita simplicidade, apresento-me para uma reflexão agradecida. 
Começo chamando-lhe à recordação uma sua experiência pessoal muito singular: lembra quando alguém lhe dirigiu o convite a tornar-se Catequista? Certamente está presente em sua memória a pessoa, as frases e o contexto. Lembra também de sua própria reação? Talvez inquietação, ou dúvidas, ou temor por não se sentir apta(o). É até possível que lhe tenha aflorado a preocupação pela falta de tempo...
Mesmo assim, embora com tantas objeções, Você aceitou. Estou certo que ainda estão bem presentes os motivos que moveram a aceitar... E o Espírito Santo estava lá: movia, suscitava, inquietava. E eis que desde sua liberdade e desde sua capacidade de amar houve um movimento de afeição amorosa pelo Senhor, pela comunidade, pelos “seus” catequizandos.   
Hoje, tendo já passado um bom tempo, talvez anos, cabem duas perguntas bastante simples: mais ofereceu ou mais recebeu? Mais aprendeu ou mais ensinou? É verdade que os desânimos por vezes se apresentaram; também sinais de cruz se pronunciaram. Mas quanto crescimento! Quantos sinais da proximidade de Deus! Quantas experiências de fé! É... Catequese é um caminho, um discipulado, um encontro que perdura e atravessa os anos. Mas o Senhor nunca se deixa vencer em generosidade. Quantas graças!!!
Seu sim ajudou a Igreja a ser Evangelizadora; a ser mais Igreja. Sua dedicação de Catequista a(o) faz lembrar-se de que o Senhor Jesus quer ser conhecido mais por seu amor do que por doutrinas. Por isso mesmo o episcopado brasileiro lhe agradece, caríssima(o) Catequista. E neste dia louva o Senhor por seu ministério. Que Deus lhe multiplique em bênçãos a bênção que é Você para a nossa Igreja. 
Dom José Antonio Peruzzo
Arcebispo de Curitiba-PR
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética


Fonte: CNBB

14 agosto, 2016

Planejamento do Primeiro encontro- Catequese de Crisma


Montei o primeiro encontro da Crisma e me baseei no blog Minha Crisma, de onde retirei algumas partes do encontro. Não usei o planejamento completo do blog Minha Crisma porque o passo ver está inadequado, não olha para a realidade e sim faz perguntas sobre o tema. Por isso, eu mesma criei o passo ver para que os catequizandos tragam para o encontro a história de vida deles. (Link do blog no final deste post).

Ver- Olhar a realidade (Neste passo, eles vão trazer a história de vida deles, a própria realidade em que vivem. Será importante para o catequista conhecer a realidade em que vivem seus catequizandos. Claro que isso não é conseguido no primeiro encontro, mas já é um começo.)

Depois dos catequistas se apresentarem, pedir para que cada catequizando escreva num papel seu nome. Á medida que forem respondendo as perguntas a seguir, colocam o papel no pequeno altar montado no chão.

Como você chegou até aqui?Qual seu nome? De onde você vem? Por onde você andou? Por que você veio aqui?


Julgar ou Iluminar
Leitura Mc 1, 16-20
Jesus chama discípulos
Leitura orante e partilha

Catequista faz uma reflexão sobre a importância do nome. (Reflexão do blog  Minha Crisma* )

"Deus nos chama pelo nome. Deus nos conhece e chama pelo mome. Conhecer pelo nome é ser amigo, ser íntimo. Jesus, quando chamou seus discípulos, os chamou pelo nome e deu a cada um a missão de colaborar para a construção do reino. (...)- Apelidos- Muitos apelidos são pejorativos e desagradam as pessoas. Saber distinguir quando os apelidos são expressão de carinho, de amor, é importante para um relacionamento saudável. Procurar saber se os amigos gostam de ser chamados por esses apelidos, é muito importante para evitar constrangimento."

-Como vamos chamar uns aos outros? Alguém tem apelido? Como gostam de ser chamados?

- Desenvolver o tema:
-Fazer a ligação da leitura bíblica acima (Jesus chamando os discípulos) com o chamado de cada catequizando para a catequese. Eles também são chamados para seguir Jesus. Falar que a catequese não é uma escola ou um curso, é um encontro com Jesus. E que  nós queremos ajudá-los a fazerem esta experiência com Jesus. Explicar que o fim da catequese não é só o recebimento dos sacramentos, mas também  de fazer o compromisso de ser seguidor de Jesus.

-Falar sobre os sacramentos de iniciação à vida cristã.

 O próximo passo é dizer a eles que este primeiro encontro gerou alguns compromissos. E que a partir de agora, na catequese, eles são convidados a se comprometerem com jesus com as seguintes ações:

Agir ( blog  Minha Crisma* )

Compromisso com Jesus
Não faltar às missas de domingo
Comungar (quem pode)
Confessar-se frequentemente (quem pode)
Trazer um amigo para a Igreja
Ler a Bíblia diariamente
Rezar pelo menos 2x por dia.


Rever ( blog  Minha Crisma* )

1) Como os apóstolos reagiram ao chamado de Jesus?
2) O que é a Crisma?
3) Como foi seu chamado para a crisma (para a catequese)


Celebrar:  Dizer uma palavra que resuma o encontro.


*Partes marcadas com este sinal foram retiradas do blog
Minha crisma

Obrigada! Deus ama você.
Cris Menezes

03 agosto, 2016

Pequenos exercícios para aprender amar e o Joelho ralado


Quem nunca caiu e ralou o joelho quando era criança?







Eu virei adulta e continuo caindo e ralando o joelho, o peito, o cotovelo...



Obrigada.

Vídeo: Dinâmica para catequese: caixinha da conversa






O objetivo desta dinâmica é incentivar os catequizandos a se expressarem mais nos encontros de catequese. Espero que gostem. Nós fizemos esta dinâmica na escola catequética com a orientação da formadora Sandra.






Obrigada.
Cris Menezes